FANDOM



Sexta Temporada, Episódio 3 - "What Kate Does"

Escrito por: Edward Kitsis & Adam Horowitz

Dirigido por: Paul Edwards


Primeiro Ato

[Lennon se apressa pelos corredores do templo, entrando em uma sala, onde vemos Dogen escrevendo algo em uma máquina de escrever antiga.]

LENNON: Ele está vivo.

[Dogen não responde, e pensativo esfrega o colar em volta de seu pescoço.]

[Perto da fonte, um maravilhado Jack se ajoelha perto de Sayid.]

HURLEY: [abraçando Sayid] Funcionou? Cara! Você está bem!

JACK: Hurley, deixe ele respirar. Miles, você pode pegar um pouco de água?

[Miles olha confuso para Sayid.]

MILES: Sim... estou indo... [Miles sai]

JACK: Sayid? Hei... Como se sente?

SAYID: Um pouco tonto.

[Jin se aproxima para testemunhar o retorno de Sayid.]

SAYID: Jack? O que houve comigo?

JACK: Você morreu.

[Kate e Sawyer assistem do outro lado da fonte.]

KATE: Como isso é possível? Quero dizer... um minuto ele se foi, e agora ele está bem?

SAWYER: É claro que ele está bem.

KATE: Como assim?

SAWYER: [com sarcasmo] Ele é um torturador iraquiano que atira em crianças. Ele definitivamente merece outra chance.

[Jack, Hurley e Jin ajudam Sayid a se levantar. Sawyer olha para fora do templo.]

KATE: O que está olhando?

SAWYER: Quantos sujeitos armados você acha que tem lá fora?

KATE: O quê?

SAWYER: Eu estava apagado quando me trouxeram aqui. Quantos guardas você viu? Cinco? Dez? Cem?

KATE: No que está pensando?

SAWYER: Estou pensando em fugir, Kate.

---

[Flash-Sideway]

[Kate está fora do LAX, ela vê o agente Mars conversando com um policial.]

MARS: Ela está com algemas, mas deve estar cobrindo elas, ok? [Mars avista Kate] Hei!

[Kate corre. Mars esbarra em um transeunte.]

TRANSEUNTE: Hei, cuidado!

[Kate entra em um táxi.]

KATE: Vai! Vai agora!

TAXISTA: Moça, eu já tenho uma passageira.

[Kate aponta a pistola pra cabeça do motorista.]

KATE: Droga, eu disse "vai"!

TAXISTA: Ok!

[O motorista acelera, cantando pneu. Kate e a outra passageira, Claire, sentem o solavanco.]

KATE: Calma! Calma! Devagar! Hei! Apenas vá devagar! Devagar!

TAXISTA: Ok! Ok! você disse "vai"!

KATE: Apenas nos tire daqui...

[Mars vê o táxi.]

MARS: Hei! Hei! Pare o táxi!

[Ele tenta alcançar o táxi, mas Kate foge.]

CLAIRE: [assustada] Por favor, por favor me deixe sair...

KATE: [Apontando a arma para Claire] Fique quieta.

[O motorista se distrai com um carro da polícia, e quase atropela um homem que está no meio da rua, recolhendo sua bagagem do chão.]

KATE: O que está fazendo?

TAXISTA: Tem um cara...

KATE: Vai.

TAXISTA: Eu não vou atropelar ele.

[O homem quase atropelado, Artz, se vira e vê o táxi.]

ARTZ: Hei, eu estou passando aqui! Estou passando aqui!

[Artz continua a recolher a bagagem caída.]

[Kate percebe um homem (Jack) falando ao telefone na saída de uma das rampas do aeroporto. Ela reage de maneira estranha ao vê-lo. Claire aproveita a distração dela e tenta fugir. No entanto, Kate consegue segurá-la.]

KATE: [para Claire] Não saia desse carro! [para o motorista] Apenas siga. Vai! Agora! Eu não me importo com o sujeito, vai!

TAXISTA: Ok...

[O táxi atropela a bagagem de Artz que ficou na rua.]

ARTZ: Hei! Hei! Que diabos? Hei, eu anotei a sua placa.

[O táxi se aproxima de um cruzamento. O sinal muda para o vermelho.]

KATE: No verde, vire a esquerda.

[O taxista observa Kate pelo espelho retrovisor.]

CLAIRE: Você pode... você pode, por favor, me deixar ir embora? Eu prometo que não direi nada pra ninguém...

[O taxista aproveita a distração de Kate e foge, correndo pela rua atrás do carro.]

KATE: Hei! Hei! Droga!

[Ela assume o lugar do motorista e acelera, quase colidindo com outro carro no caminho.]

KATE: Me dê a sua bolsa!

CLAIRE: Mas... eu... eu...

KATE: Eu disse "Me dê a sua bolsa!"

[Claire entrega a bolsa, e Kate pisa no freio.]

KATE: Agora, saia do carro.

CLAIRE: Eu posso só... só pegar a minha mala...

KATE: Não, não pode! Saia do carro!

[Claire sai do carro chorando, enquanto Kate acelera pela rua.]

---

[No templo, Jack e Jin ajudam Sayid no caminho até o jardim.]

JACK: Calma...

[Eles colocam Sayid sentado. Hurley os segue, e Miles aparece com um pouco de água.]

SAYID: Quem são essas pessoas? O que eles querem?

HURLEY: São os Outros, cara. Eles nos pegaram, de novo. Sei lá, acho que estão... tentando nos proteger.

MILES: É, e como pode ver, Hugo assumiu a posição de líder. Então... isso é ótimo.

[Sayid vê Jack olhando para o seu abdômen.]

SAYID: O quê?

JACK: A ferida. Está quase completamente fechada.

[Jack levanta a camisa de Sayid, que examina sua ferida.]

SAYID: Obrigado, Jack.

JACK: Pelo quê?

SAYID: Salvar minha vida.

[A porta do templo é aberta. Jack vê Dogen e Lennon entrarem no jardim, acompanhados de alguns Outros.]

DOGEN: [em japonês para Lennon] "Naniwatomoare isogunda." (De qualquer forma, seja rápido.)

LENNON: Sr. Jarrah, pode vir conosco por favor?

SAYID: Ir com vocês aonde?

LENNON: Para dentro. Nada com o que se preocupar, nós apenas...

JACK: Eu vou com ele.

LENNON: Oh, eu lamento. Nós precisamos falar com ele a sós. Apenas algumas perguntas...

JACK: Você tem algumas perguntas? Bem, nós também. Quero dizer, vamos começar com: Quem são vocês?; Por que estão nos mantendo aqui? Você...

DOGEN: "Kono otoko wo damarasero." (Faça esse sujeito se calar.)

[Jack olha com desconfiança, e espera pela tradução de Lennon.]

LENNON: Quando tivermos falado com o Sr. Jarrah, nós ficaremos mais do que felizes em lhe contar tudo que quer saber.

JACK: [para Dogen] Algo me diz que você não ficará feliz em nos contar nada.

DOGEN: "Tsureteike." (Pegue eles.)

[Um homem ataca Jack, enquanto outro acerta um soco em Miles. A luta é interrompida por um tiro. Os Outros miram suas armas para Sawyer que conseguiu uma pistola, e a tem apontada para Dogen.]

DOGEN: "Yamero." (Parem.)

LENNON: Não atirem! Abaixem as armas! [Os Outros obedecem. Lennon se aproxima de Sawyer.] Por favor, você não precisa fazer isso. Não vamos machucar seu amigo...

SAWYER: Ele não é meu amigo. Faça o que quiser com ele, e com qualquer outro, mas eu? Estou caindo fora daqui.

KATE: James...

SAWYER: Fui! Você entendeu?

DOGEN: [em inglês] Por favor.... você precisa ficar.

SAWYER: Não. não preciso.

[Ele retira as contenções da porta do muro, e antes de sair vira para Kate...]

SAWYER: Não venha atrás de mim.

[Ele sai e fecha a porta atrás dele.]


LOST


Segundo Ato

DOGEN: "Nani wo shitemo kamawan. Ford wo tsuremodose." (Você deve tomar as medidas necessárias. Traga o Ford de volta.)

[Alguns Outros carregam Sayid de volta para o templo.]

JACK: Hei! Hei! Para onde eles estão levando Sayid?

ALDO: [se aproximando] Hei! Se acalme! Todo mundo se aclame!

[Aldo aponta a arma para Jack.]

LENNON: Para onde Ford foi?

JACK: O quê?

LENNON: Ford. Seu amigo que acabou de sair daqui. Para onde ele foi?

JACK: Eu não sei.

LENNON: Você espera que eu acredite nisso?

JACK: Ele disse que queria me matar. Você acredita nisso?

KATE: Eu posso trazê-lo de volta.

LENNON: Você sabe onde ele foi?

KATE: Não, mas eu posso rastreá-lo. Me deixe ir. Eu vou trazer ele de volta, e eu posso fazê-lo ficar.

JACK: Kate? Você tem certeza que quer ir lá fora sozinha com essa gente?

JIN: Eu irei com ela.

LENNON: É muito importante que ele volte em segurança. O que a faz pensar que ele vai te ouvir?

KATE: Eu posso ser bem convincente quando quero.

---

[Flash-Sideway]

[Kate leva o táxi até uma oficina mecânica. Com a arma, ela aborda um homem que trabalha com um lixadeira.]

KATE: Onde está o seu martelo pneumático?

[O mecânico desliga o aparelho e remove os óculos.]

MECÂNICO: [vendo Kate e as algemas] Você tem um problema.

KATE: Você também. Onde está o seu martelo pneumático?

MECÂNICO: Um martelo pneumático vai apenas cortar os seus pulsos. Para o seu problema você precisa de uma puncionadeira, e você não vai poder usar uma e manter essa arma apontada para mim.

KATE: Está se voluntariando? [Ela abaixa a arma]

MECÂNICO: Eu tenho mãos firmes, mas eu sinto que começamos com o pé esquerdo.

KATE: [sorrindo] Eu te darei duzentos dólares.

[O mecânico parece aceitar o dinheiro. Vemos as algemas prontas para serem abertas na máquina.]

MECÂNICO: Agora, fique parada.

[O mecânico aciona a puncionadeira, que abre as algemas.]

KATE: Obrigada.

MECÂNICO: Então por que os "braceletes"?

KATE: Eu sou procurada por homicídio.

MECÂNICO: Homicídio?

KATE: Você não tem um lugar onde eu posso me trocar, tem?

MECÂNICO: [rindo] O banheiro é ali. Seja rápida.

KATE: Obrigada.

[Kate entra no banheiro e abre a bolsa da Claire, encontrando uma foto da Claire grávida, várias coisas de bebê, e uma baleia de pelúcia. Ela fica pensativa, olhando para o espelho.]

---

[No templo, Kate prepara a mochila para a viagem.]

ALDO: [entregando um cantil] É melhor não nos atrasar.

KATE: Melhor você não me atrasar.

[Jack senta perto de Kate e Jin.]

JACK: Eu iria com você, mas...

KATE: ...Mas Sawyer te mataria? [Jack sorri] Eu cuidarei do James, você cuida do Sayid.

JACK: Combinado.

[Eles se levantam]

KATE: Adeus.

JACK: [segurando o braço de Kate] Tenha cuidado.

[Eles trocam um olhar. Jack parece querer beijá-la, mas Kate se retira.]

[Em uma outra sala, Sayid está preso a uma mesa. Dogen está perto dele.]

SAYID: O que você quer? Por favor, o que estiver pensando em fazer...

[Dogen coloca um pouco de cinza na mão e a assopra por sobre Sayid, esperando que alguma coisa aconteça. No entanto, aparentemente nada de diferente ocorre.]

SAYID: O que é isso?

[Dogen prende alguns fios no peito de Sayid.]

SAYID: Apenas me diga o que quer.

[Dogen gira uma manivela e em seguida aciona uma aparelho elétrico. Ao virar um botão, Sayid é eletrocutado, gritando de dor.]

[Dogen desliga a máquina e retira os fios de Sayid.]

SAYID: [assutado] Por quê? Por que está fazendo isso comigo?

[Dogen vai até um fogareiro, e pega um pedaço de metal incandescente.]

SAYID: Eu não tenho nenhum segredo. Pergunte...

[Dogen pressiona o metal quente contra o peito de Sayid, que se debate de dor.]

DOGEN: "Yoshi kore de jyuubun da. Shiken ni tootta to omoe." (Tudo bem, é o suficiente. Acho que passou no exame.)

LENNON: Eu lamento que tenhamos feito passar por isso. [soltando Sayid] Foi um teste. Tínhamos que ter certeza.

SAYID: Teste pra ter certeza do quê?

LENNON: Não se preocupe, você passou.

[Dois dos Outros retiram Sayid da sala.]

LENNON: Eu acabei de mentir pra ele, não foi?

DOGEN: Sim.


Terceiro Ato

[Kate volta com o táxi para as proximidades do LAX. Ela para o carro em um acostamento, onde Claire está sentada em um banco. Claire parece nervosa.]

KATE: Para onde você ia?

CLAIRE: O quê?

KATE: Antes de eu entrar no táxi, para onde você ia?

CLAIRE: Por que, pra você sequestrar eles, também?

[Kate pega a bagagem da Claire que estava no porta-malas.]

CLAIRE: Eu estava esperando um ônibus.

KATE: Vim trazer as suas coisas. [entregando a bagagem para Claire] Relaxa, eu não peguei o seu dinheiro.

CLAIRE: Bem... nossa obrigado.

KATE: Então aonde você ia?

CLAIRE: Não se preocupe com isso.

KATE: [resignada] ...tudo bem. [Ela entra de volta no táxi.]

CLAIRE: Rua Langdon, em Brentwood.

KATE: Você tem família lá?

CLAIRE: Ah, não... é um... casal que vai adotar o meu bebê. Eles deviam... eles deviam me encontrar no aeroporto, mas eu acho que eles confundiram a data, ou algo. Não é como se tivessem me abandonado.

KATE: Brentwood não é longe. Entre.

CLAIRE: Sério?

KATE: Você quer uma carona ou não?

[Claire entra no carro com Kate.]

---

[Kate e Jin estão andando na selva, acompanhados por Aldo e Justin.]

KATE: Então, porque vocês querem que fiquemos no templo?

ALDO: Estamos protegendo vocês.

KATE: De quê?

ALDO: Você está nessa ilha há algum tempo, certo? Já viu uma grande coluna de fumaça preta, fazendo um som de chocalho, parecendo irritada?

KATE: Sim.

ALDO: Daquilo.

JIN: Você sabe alguma coisa sobre outro avião chegando? Um voo da Ajira?

ALDO: Desculpa, isso é uma coletiva de imprensa?

JUSTIN: Eu acho que ele fala daquele que pousou na...

ALDO: Justin! Cale-se.

[Aldo entra em uma trilha, enquanto Kate pega uma diferente.]

KATE: Não, não, essa é uma trilha falsa. Ele veio por aqui.

ALDO: ...e você baseia isso em quê?

KATE: Experiência.

JUSTIN: Aldo.

ALDO: O quê?

JUSTIN: Acho que ela está certa.

ALDO: Claro que ela está. Depois de você, princesa.

[Eles seguem Kate.]

ALDO: Então, qual sua estratégia para trazer o seu namorado de volta. Eu espero que tenha uma porquê ele atirou em alguém na saída... e se ele tentar isso em mim, eu vou estourar a cabeça dele.

[Justin impede Kate de pisar em uma armadilha.]

JUSTIN: Cuidado. [Kate vê o fio cruzando o caminho]

KATE: Obrigado.

JIN: Parece ser uma das armadilhas da Rousseau.

JUSTIN: A francesa? Ela está morta há anos, não poderia ser uma das...

ALDO: Justin! Calado!

[Kate vai até Aldo e o empurra, batendo com o cantil no peito dele.]

KATE: O que ele ia dizer?

ALDO: você nem se lembra de mim, lembra? [Kate parece confusa] Você não me reconhece? Bem, isso talvez refresque sua memória... Três anos atrás, você ensaiou uma fuga da cadeia. [Kate inocentemente bebe água do cantil] e você fez isso acertando o guarda com a parte de trás do seu rifle. Aquele era eu... [Kate acerta Aldo com o cantil, e então atira o recipiente contra o fio. A armadilha é ativada, soltando uma rede cheia de pedras que acerta Justin, o derrubando.]

[Kate pega a arma de Aldo, conferindo o carregador.]

JIN: O que está fazendo?

[Kate pega o rifle de Justin e entrega a Jin.]

KATE: Fugindo.

[No templo, os outros levam Sayid de volta para a fonte.]

HURLEY: Sayid!

[Miles e Hurley vão até Sayid.]

MILES: Você está bem, cara?

HURLEY: [segurando Sayid] Jack! Sayid está de volta!

JACK: Sayid, o que aconteceu?

SAYID: Eles me torturaram.

JACK: Por quê?

SAYID: Não sei. Eles não me perguntaram nada.

[Irritado, Jack se dirige até a sala de Dogen, onde dois homens fazem a guarda da entrada.]

JACK: Abram caminho.

[Eles obedecem, para a surpresa de Jack.]

[Dogen está trabalhando em algum tipo de substância. Lennon está perto de uma prateleira lendo um livro.]

LENNON: Hei, Shepard. [fechando o livro] Esperávamos que viesse por conta própria.

JACK: O que diabos vocês fizeram com o Sayid?

LENNON: Nós não fizemos nada com ele. Seu amigo está doente.

JACK: Doente do quê?

DOGEN: [colocando a substância em uma cápsula] "Kare wa kegasarete shimatta."

LENNON: Ele está... é... na verdade, na verdade não há uma tradução literal. A coisa mais próxima seria... "infectado".

JACK: Infectado? Ele nem está com febre. [Dogen ri] Eu disse algo engraçado?

LENNON: Duvido... ele não tem senso de humor.

[Dogen embrulha a cápsula em um pedaço de papel.]

DOGEN: "Kore wo Jarrah ni nomasetemoraou."

LENNON: Ele disse, que você tem que dá essa pílula para o seu amigo.

[Jack ri sarcasticamente]

JACK: Está falando sério? Por que você não dá pra ele?

LENNON: Porque não vai funcionar, a não ser que seja voluntariamente, e ele não vai tomar voluntariamente de nós.

JACK: Bem, então talvez devessem ter pedido a ele que tomasse, antes de tê-lo torturado.

LENNON : Não o torturamos. Estávamos diagnosticando-o.

JACK: Para vê se ele estava infectado.

LENNON: Sim.

JACK: Eu não vou dar nada ao Sayid, a não ser que eu saiba o que há dentro.

[Jack ameaça sair. Lennon olha para Dogen que não parece preocupado.]

DOGEN: Diga-me, Shepard. Seu amigo, como ele foi baleado?

JACK: Ele estava... ele estava me ajudando.

DOGEN: Então foi sua culpa.

JACK: Sim.

DOGEN: Houve outros que foram feridos, ou morreram, te ajudando?

JACK: Sim.

DOGEN: Bem, então essa [mostrando a pílula a Jack] é sua chance de se redimir.

[Dogen pega a mão de Jack e entrega a pílula.]

DOGEN: É remédio, e seu amigo precisa.

JACK: O que acontece se eu não der a ele?

DOGEN: A infecção irá se espalhar.


Quarto Ato

[Hurley e Miles conversam com Sayid perto da fonte.]

MILES: Então, nada? Não havia nada? Nenhuma luz branca? Anjos cantando? Nenhum parente morto?

SAYID: Eu lembro de ser baleado.

HURLEY: Você não é um zumbi, certo?

SAYID: Não. Eu não sou um zumbi.

MILES: [percebendo Jack] ...Hei.

JACK: Se importam de dar um minuto para mim e Sayid?

HURLEY: É, sabe, conversas particulares me assustam. Porque elas geralmente me levam a ter que fazer algo que não entendo direito.

JACK: [rindo] Eu te entendo bem.

MILES: Tudo bem... nós estaremos na "praça de alimentação" se precisar de nós.

[Hurley e Miles deixam Jack e Sayid a sós. Jack bebe água do cantil e oferece para Sayid que recusa.]

SAYID: Então, eles disseram porque me queimaram com ferro quente?

JACK: Ele disse que estava diagnosticando você.

SAYID: Certo. Eles me contaram que era algum tipo de teste, que eles disseram eu ter passado. Claramente, eu não passei.

[Jack desdobra o papel com a pílula.]

SAYID: O que é isso?

JACK: Eles querem que você tome isto. É um remédio, segundo eles.

SAYID: ...e segundo você?

JACK: Eu não sei... e sabe antes, quando você... quando você me agradeceu por salvar a sua vida. Eu não tive nada haver com isso, Sayid. Eu não te consertei. Eles consertaram.

SAYID: Eu não ligo para quem me consertou. Eu só ligo para quem eu confio. Então, se você quer que tome essa pílula, Jack, eu tomarei.

[Jack olha para a pílula e depois para Sayid...]

---

[Na selva...]

JIN: Espere. Aonde está indo?

KATE: Alcançar o Sawyer.

JIN: Então, você nunca planejou trazê-lo de volta para o templo?

KATE: Não. Eu não estou interessada em ser uma prisioneira, você está?

JIN: Onde o seu avião pousou, Kate?

KATE: O quê?

JIN: O avião da Ajira que você, Jack e Hurley vieram. Onde pousou?

KATE: Eu não sei.

JIN: Sun estava naquele avião, também, e eu tenho que encontrá-la.

KATE: Você acha que eles vão te dizer? Você acha que eles se importam com você, ou Sun, ou com qualquer um de nós?

JIN: Com quem você se importa, Kate?

KATE: Boa sorte, Jin. [Ela continua a andar]

JIN: Quando alcançar o Sawyer, então o quê?

KATE: Acho que vamos descobrir juntos.

---

[Flash-Sideway]

[No táxi, Kate leva Claire até Brentwood.]

CLAIRE: Então, o que aconteceu com suas algemas?

KATE: Eu as cortei fora.

CLAIRE: É uma vizinhança bonita. Aposto que eles são pessoas bem legais... o quê? [percebendo a reação de Kate]

KATE: Eu não disse nada.

CLAIRE: O quê? Você acha que eles não foram no aeroporto de propósito?

KATE: Por que eu pensaria isso?

CLAIRE: Ótimo. Porque não foi isso.

KATE: É aqui.

[Kate estaciona o carro no acostamento, em frente a uma bela casa.]

CLAIRE: Uhm... Você viria comigo?

KATE: Você está brincando comigo?

CLAIRE: Por favor, eu... eu só... eu realmente não quero ir lá sozinha.

[Kate hesita em aceitar. Vemos a porta da casa sendo aberta, uma mulher recebe Claire e Kate do lado de fora.]

CLAIRE: Oi, senhora Baskum? Eu sou Claire Littleton.

Sra. BASKUM: [surpresa] Oh, meu deus... oh... eu lamento muito. Meu marido [chorando]... ele me deixou... e acredite, eu queria tanto o bebê, mas não posso fazer isso sozinha. Olha, eu sei que devia ter ligado.

CLAIRE: ...Então, você apenas mudou de idéia?

Sra. BASKUM: Olha, minha... minha vida está um pouco complicada no momento...

KATE: Ela veio lá da Austrália, e você nem ligou?

CLAIRE: Oh meu deus! [com dificuldades de respirar]

KATE: Você está bem?

CLAIRE: Ahhh! Está vindo!

---

[Kate chega na vila da Dharma/Outros. Ela escuta sons vindo de uma das casas, e resolve entrar. Kate percorre o corredor da casa até ver Sawyer em um dos quartos, movendo um armário. Sawyer retira uma caixa de sapato, escondida embaixo do piso. Kate fica em silêncio e apenas observa.]

[Da caixa de sapato, Sawyer tira uma pequena bolsa, e começa a chorar. Kate se vira e começa a andar em direção à saída. Sawyer ouve passos vindos do corredor.]

SAWYER: [com a arma apontada] Quem está aí? Melhor aparecer agora, ou me acudam porque vou começar a atirar.

[Ele sai do quarto e vê Kate parada de costas para ele.]

SAWYER: [abaixando a arma] O que diabos faz aqui?

KATE: Eu estava preocupada com você. [ela se vira]

[Sawyer passa direto por ela, e se retira.]


Quinto Ato

[Kate estaciona o táxi em frente ao hospital. Ela esconde a pistola na cintura. Uma enfermeira se aproxima trazendo uma cadeira de rodas para Claire.]

ENFERMEIRA: O que está acontecendo?

CLAIRE: Acho que estou tendo contrações.

ENFERMEIRA: Quando começou?

CLAIRE: [na cadeira de rodas] Há uns vinte minutos atrás.

ENFERMEIRA: Tente relaxar. Nós vamos levá-la a maternidade para dar uma olhada. [para Kate] Você está com ela?

[Kate percebe um carro da polícia passando.]

KATE: Sim.

[Na maternidade, outra enfermeira (Margaret) está terminando de tirar a pressão de Claire.]

CLAIRE: [assustada] O que você está fazendo? O que está acontecendo?

MARGARET: Espere, o doutor estará com você em um instante.

[Kate sai da sala da obstetrícia, e aborda um médico que está conversando com um enfermeiro no corredor.]

KATE: Com licença, com licença.

[O médico vira e podemos reconhecê-lo. É Ethan.]

ETHAN: Sim?

KATE: Você é médico?

ETHAN: Sim. Eu sou o Dr. Goodspeed.

KATE: Eu poderia ter a sua ajuda aqui?

[Eles entram de volta na sala onde Claire está.]

ETHAN: [após ler a ficha médica] Senhorita Littleton, Claire, como se sente?

CLAIRE: Desconfortável. O que está acontecendo?

ETHAN: O que está acontecendo... é que a mãe natureza se adiantou um pouco. Você está pronta para ter o seu bebê?

CLAIRE: Me...me desculpa, o quê!?

ETHAN: Você está de trinta e seis semanas, três centímetros de dilatação, e com cerca de oitenta por cento de obliteração. O que significa que se quiser pode ter o seu bebê esta noite.

CLAIRE: Se eu quiser? Quer dizer que vo-você pode parar, então?

ETHAN: Talvez, no entanto para fazer isso seria necessário um certo número de medicamentos.

CLAIRE: Que-que medicamentos. Quer dizer, isso vai machucar o bebê?

ETHAN: Não, eles são perfeitamente seguros. Só não quero ter que espetá-la com agulhas, se eu não precisar. Então, é sua decisão.

CLAIRE: Eu-eu não estou pronta.

ETHAN: Ok, vamos começar com gotas de Nifedipina.

[As linhas no monitor ficam planas e um som intermitente é ouvido.]

CLAIRE: O-o que é isso?

ETHAN: Margaret, vamos fazer um ultrassom. [a enfermeira vai buscar a máquina] Eu quero ter uma imagem do que está acontecendo aí dentro. Pode ser apenas que o bebê esteja fora de posição.

CLAIRE: [apavorada] O-o que você está dizendo... O que está acontecendo com o meu bebê? [chorando] O bebê está bem? Aaron está bem?

ETHAN: [conseguindo uma imagem do bebê no ultrassom] Viu? Lá está ele... tudo está bem. O seu garoto só gosta de se mexer. [risos] Cento e quarenta BPMs, perfeitamente normal. Tenho a sensação que Aaron dará trabalho. Agora, vamos ver se conseguimos desacelerar isso. Você foi ótima, mamãe. Obrigado.

[Claire, mais calma, sorri para Ethan e depois para Kate, apertando a mão dela.]

---

[Sawyer está sentado no píer em que ficava aportado o submarino. Kate se aproxima, sentando ao lado dele.]

KATE: Há uns dois dias atrás, você me perguntou por quê eu voltei à ilha... Eu preciso encontrar a Claire. Eu pensei, talvez, se eu pudesse te alcançar, você me ajudaria... e então, talvez se pudéssemos encontrá-la e levá-la de volta ao Aaron, então tudo isso não teria sido por nada... Sinto muito. Nunca deveria ter te seguido.

SAWYER: Qual das vezes?

KATE: Aquela era sua casa, certo? Com Juliet?

SAWYER: ...é.

KATE: Eu lamento.

SAWYER: Você já disse isso.

KATE: Não... pela Juliet. Se eu não tivesse vindo atrás de vocês no submarino, então vocês dois teriam partido, e ela nunca teria morrido.

SAWYER: Não é sua culpa ela estar morta... é minha. Ela estava sentada bem aí, onde você está agora, tentando deixar esse lugar... e eu a convenci a ficar. Eu a fiz ficar nessa ilha porquê não queria ficar sozinho. Você entende isso, certo? [chorando] Mas... mas eu acho que algum de nós estão destinados a ficar sozinhos. [Sawyer olha a aliança que tem em mãos (que ele tirou da caixa de sapato)] Eu ia pedir ela em casamento.

[Sawyer se levanta e atira a aliança na água.]

SAWYER: Você provavelmente consegue voltar para o templo ao cair da noite.

[Sawyer se retira. Kate fica no píer chorando.]

[No templo, Dogen está girando uma bola de beisebol sobre sua mesa. Jack se aproxima.]

JACK: O que é isso?

DOGEN: É uma "beisebola".

[Jack senta de frente para Dogen.]

JACK: Você fala inglês muito bem para alguém que precisa de um tradutor.

DOGEN: Ambos sabemos que não preciso de um tradutor.

JACK: Então, por quê tem um?

DOGEN: Porque eu preciso ficar afastado das pessoas as quais estou encarregado. Fica mais fácil quando eles não gostam das decisões que tomo por eles.

JACK: Quem é você?

DOGEN: Meu nome é Dogen.

JACK: Você é daqui? Da ilha?

DOGEN: Eu fui trazido para cá como todo mundo.

JACK: O que quer dizer com "trazido para cá"?

DOGEN: Você sabe exatamente o que quero dizer.

[Jack se levanta e anda pela sala.]

DOEN: Você não deu a pílula para o seu amigo, deu?

JACK: Não.

DOGEN: Por que não?

JACK: Porque não sei o que tem nisto.

DOGEN: Ela vai eliminar a in...

JACK: ...a infecção, é, eu entendi, mas o que tem nisto?

DOGEN: Eu não posso explicar.

JACK: Tente.

DOGEN: Não há tempo. Ele irá morrer se você...

JACK: Ele já morreu! O que tem nisto? [mostrando a pílula]

DOGEN: Você terá que confiar em mim.

JACK: [rindo] Eu não confio em mim mesmo. Como poderia confiar em você?

[Jack se afasta de Dogen.]

JACK: Vamos ver onde a confiança vai nos levar. [Jack engole a pílula]

[Dogen imediatamente parte para cima de Jack, o atingindo no estomago, nas costas, e então executando a manobra de Heimlich, até Jack finalmente cuspir a pílula de volta. Dogen a recolhe do chão.]

JACK: [se recuperando] ...agora, você vai me dizer... o que tem nela!?

DOGEN: Veneno.


Sexto Ato

[No hospital, Claire está olhando o seu sonograma. Alguém bate na porta.]

CLAIRE: Entrem.

RASMUSSEN: Com licença, Srta. Littleton?

CLAIRE: Sim?

[Uma mulher e um policial entram no quarto.]

RASMUSSEN: Eu sou a detetive Rasmussen. A Srta. Hart está?

CLAIRE: Perdão, quem?

RASMUSSEN: Joan Hart. Ela se registrou com você.

CLAIRE: Oh, ela era só... a taxista. Eu precisei de ajuda, e ela me trouxe até aqui. Ela partiu depois que cuidaram de mim.

[O policial checa o quarto. Kate escuta a conversa escondida em uma sala anexa.]

RASMUSSEN: Ela deu alguma indicação de onde ia?

CLAIRE: Por que, tem algo errado?

RASMUSSEN: Não. Não é nada para se preocupar. [para o policial] Venha, vamos embora. [Eles deixam o quarto]

[Kate entra de volta no quarto.]

KATE: Obrigada.

CLAIRE: Claro, obrigada. Por-por que estão atrás de você? O que você fez?

KATE: Acreditaria se eu dissesse que sou inocente?

CLAIRE: Sim. Sim, eu acreditaria.

KATE: Eu tenho que ir.

CLAIRE: Oh, espere. Aqui, leve o meu cartão de crédito. [entregando o cartão para Kate]

KATE: Não...

CLAIRE: O limite não é muito grande, mas é alguma coisa.

KATE: Você não tem que fazer isso.

CLAIRE: Você não precisava fazer isso, também. [Kate aceita o cartão]

KATE: Aaron é um ótimo nome.

CLAIRE: Eu não sei porquê disse... é como, sei lá, eu soubesse por alguma razão.

KATE: Eu acho que você devia ficar com ele.

CLAIRE: Bem... boa sorte.

KATE: É, você também.

CLAIRE: Obrigada.

---

[Kate está enchendo o cantil com água de uma torneira. Sawyer passa por ela entrando em uma das casa. Kate parece pronta para partir.]

[No templo, Lennon se junta a Dogen e Jack.]

LENNON: Ele engoliu?

DOGEN: Sim. [entregando uma xícara para Jack.]

JACK: O que é isso?

DOGEN: Chá. [Jack acha engraçado]

JACK: Por que vocês querem matar o Sayid?

DOGEN: Acreditamos que ele tenha sido... "mesareteittandarou".

LENNON: A tradução mais próxima é... "reivindicado".

JACK: Reivindicado? Pelo quê?

DOGEN: Tem uma escuridão crescendo nele. Uma vez que alcançar seu coração, tudo que seu amigo já foi, estará perdido.

JACK: Eu... como pode ter certeza disso?

DOGEN: Porque aconteceu com sua irmã.

[Na selva, Jin interrompe a caminhada para beber água de um riacho, mas é atacado por Aldo e Justin.]

ALDO: Levanta... [acertando uma joelhada em Jin] Isso é pela minha cabeça. Agora, cadê a vadia? [apontando a arma]

JIN: Eu não sei. Você não entende. Eu estou voltando para o templo.

ALDO: Certo, é.

JUSTIN: Parece que ele está sozinho. Talvez, devêssemos levá-lo de volta.

ALDO: ...ou talvez não o encontramos vivo.

JUSTIN: Aldo, não. Não podemos. Ele é um deles.

ALDO: Ele talvez seja um deles.

[Jin tenta fugir, mas pisa em uma armadilha de urso. Com a perna presa, ele grita de dor.]

ALDO: [apontando a arma] Onde você vai?

[Aldo leva dois tiros no peito e cai morto. Justin tenta ver de onde os tiros vieram, mas é atingido com um disparo, e também cai. Jin olha e vê uma mulher apontando um rifle.]

JIN: Claire?

[Claire abaixa a arma, parecendo reconhecer Jin.]


LOST

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória