FANDOM



Episódio 1 - "The Beginning of the End"

Escrito por: Damon Lindelof e Carlton Cuse

Dirigido por: Jack Bender


Introdução

[Uma pilha de frutas é mostrada, com o oceano ao fundo. A pilha parece explodir quando um carro a atravessa, e vemos que o fundo, é na verdade uma foto, a cena é uma cidade. O carro segue radicalmente enquanto os carros da polícia o seguem. Em uma casa, um homem liga a televisão, enquanto uma perseguição em alta velocidade é mostrada ao vivo nos noticiários. O homem assiste à ação enquanto se serve de um drink.

REPÓRTER: ...30 minutos já se passaram desde o começo dessa perseguição em alta velocidade. Ainda não temos nenhuma informação sobre quem está dirigindo este veículo. Jeff, você pode nos dizer onde começou essa perseguição?

JEFF: Ouvimos falar que ela começou perto da La Brea, então se locomoveu pelo Distrito Industrial até sul da Rodovia 10.

REPÓRTER: Você pode ver quantas pessoas há no carro?

[O homem assistindo a televisão é revelado. É Jack]

JEFF: Parece que tem só uma, o motorista. Nós não temos certeza se é o dono do carro. O que você vê aqui são imagens da Rodovia 10, centro sul.

REPÓRTER: Aquilo é um Camaro, Jeff?

JEFF: Sim, uma relíquia, modelo 1970.

JACK: Droga.

[O carro é cercado pelas viaturas e acaba saindo da pista, batendo. Os carros da polícia param e os policiais cercam o Camaro com armas]

POLICIAL (H): Nos mostre suas mãos!

[O homem dentro do carro respira ofegante]

POLICIAL (H): Abaixe a janela e mostre suas mãos agora!

[O homem obedece]

POLICIAL (M): Agora abra a porta devagar com sua mão esquerda.

[O homem obedece]

POLICIAL (H): Saia do carro!

[O homem obedece novamente]

POLICIAL: Vire-se, devagar!

[O homem se vira. É Hurley]

POLICIAL 2: Deite no chão!

POLICIAL (M): Agora!

[Hurley se agita e tenta fugir. Mas é jogado contra a parede pelos policiais]

HURLEY: Pare! Não quer saber quem sou? Pare! Espera! Não sabe quem sou eu? Sou um dos 6 da Oceanic! Sou um dos 6 da Oceanic!!!

[CRÉDITOS]

Primeiro Ato

[Hurley é mostrado na sala de interrogatório com o canal CCTV o mostrando em uma loja de conveniências]

DETETIVE: Então, cinco minutos antes de você bater 10 vezes pela cidade, você estava cuidando de seu próprio negócio em uma loja de conveniências, até que vê algo e enlouquece. Sr. Reyes, por que você correu assim? Quem você viu ali? Ouça, camarada, sei que você viu alguém naquela loja que te fez correr...

HURLEY: Eu não estava correndo de ninguém.

DETETIVE: Se acha que ligo por você ser uma celebridade, você bateu seu Camaro na vizinhança errada.

HURLEY: Eu não sou uma celebridade.

DETETIVE: (Risos) Então, por que você continua falando: "Ei, sou um dos 6 da Oceanic"? Quer saber de uma coincidência divertida?

HURLEY: Claro.

DETETIVE: Eu conhecia alguém do seu avião.

HURLEY: Sério?

DETETIVE: Seu nome era Ana-Lucia Cortez. Era minha parceira antes de eu virar detetive. Cabelo escuro... Linda. Talvez você a tenha conhecido. Talvez você a encontrou no avião... Antes de ele decolar?

HURLEY: Desculpe, nunca ouvi falar.

DETETIVE: Por que você não assiste à fita? Talvez isso te ajude em algo. Vou pegar uma rosquinha. Quer uma?

HURLEY: Não, obrigado.

DETETIVE: Quando eu voltar, irá me contar de quem você fugiu.

[O detetive deixa a sala. Hurley senta e assiste ao seu vídeo na loja, onde ele pula de medo e corre para fora do local em pânico. Ele olha para o espelho da sala de interrogatório onde depois ele vê uma janela subaquática. Um homem com capuz nada até a janela, e toca no vidro, que imediatamente quebra. A água invade a sala e chega aos pés de Hurley, que corre até a porta]

HURLEY: Socorro! Socorro! Socorro! Socorro! Me ajudem! Socorro!

[O detetive retorna à sala]

DETETIVE: O que diabos há de errado com você?

[Hurley vê que não há água na sala, a janela se tornou espelho de novo]

DETETIVE: O que está fazendo, Reyes? Quer ser jogado em um hospício? Porque, se é isso que quer, posso fazer acontecer agora, amigo.

HURLEY: Você pode? (Hurley ) Oh, obrigado! Obrigado, obrigado!

[Na Ilha, Hurley usa o rádio da van da DHARMA para se comunicar com Jack]

HURLEY: Jack? Está aí cara? Praia para Jack, vamos Jack! Praia para Jack...

[Jack pega seu walkie e responde]

JACK: Hurley, o que aconteceu?

HURLEY: Ei, vocês já fizeram o que tinham que fazer na torre de rádio?

JACK: Sim, e eu falei com as pessoas no barco, eles estão a caminho para nos pegarem agora.

HURLEY: Sério? Isso funcionou?

[Jack vê Ben assistindo solenemente]

JACK: Sério, todos nós estamos voltando para a praia agora, então, é melhor arrumar suas malas, amigo. (Ele pisca pra Ben)

HURLEY: Hahaha! Cara! Isso é ótimo! Woohoo!

[Hurley anda em direção aos outros na praia, noo mesmo tempo em que Jack encontra Kate]

JACK: Alguma sorte?

KATE: Nada, nenhum sinal dele. (Ela olha pra Naomi morrendo no chão) É como se ele estivesse desaparecido. Porque Locke a mataria? Ele nem se quer a conheceu...

JACK: Porque ele é louco.

KATE: Então, e se ele voltar?

JACK: Se voltar, eu o matarei. (Eles se entreolham por um momento) Eu vou pegar todos, quanto mais rápido chegarem a praia melhor.

KATE: Nós realmente voltaremos para casa?

JACK: Sim. Nós realmente voltaremos.

[Jack sai, passando por Claire e Sun que estão trocando Aaron. Rose está presente também]

SUN: (Risos) Eu não posso acreditar que irei ter o meu bebê no hospital.

CLAIRE: (Empurra seu braço) Vai esfregar na cara, é!?

SUN: (Risos) Oh não...

ROSE: Vocês senhoras precisam de uma mão?

CLAIRE: Não, nós só estamos dobrando as coisas, obrigada. Você deve estar muito orgulhosa pelo Bernard, eu ouvi que ele foi um completo herói.

ROSE: Mas todo mundo sabe que o herói de verdade foi o seu homem, Claire. Se Charlie não desligasse aquele gizmo [?], nós ainda estaríamos pegando um sinal ocupado nesse telefone estranho. Então é melhor você ter certeza que vai tratá-lo bem quando ele voltar.

CLAIRE: Rose!

[Todos riem. Enquanto isso, Ben está amarrado a uma árvore com Rousseau situada próxima a ele. Eles observam Alex and Karl conversando e rindo]

BEN: Eu preciso que você me faça um favor. Eu preciso que você pegue a Alex e vá para o mais longe possível daqui.

ROUSSEAU: O quê?

BEN: Me escute, nós não temos tempo para isso. Todos que ficarem aqui irão morrer. Agora pegue a Alex e saia daqui agora, eu não me importo para onde, apenas vá, eu não irei ver minha filha...

[Rousseau bate em Ben]

ROUSSEAU: Ela não é sua filha.

[Na praia, Juliet está cavando um túmulo enquanto Sawyer bebe cerveja. Hurley e Bernard estão olhando para o oceano]

HURLEY: Eu já te disse que ganhei na loteria? Eu tinha tipo 150 milhões de dólares. Foi a pior coisa que aconteceu comigo.

BERNARD: Ah, sim, quem precisa de 150 milhões de dólares, certo?

HURLEY: Agora tudo se foi. Porque todos eles pensam que estou morto. Vamos ser resgatados e eu vou voltar. Eu vou ser livre. (Pausa) Eu quero dar um pulo bomba. Eu estive andando pra cima e pra baixo nessa praia todo dia e olhando para essa água. E eu quero dar um pulo bomba.

BERNARD: Hurley. Você quer dar um pulo bomba? Então pula.

[Hurley faz, correndo e rindo. Ele pula na água sorrindo, sobe à superfície, e vê os outros ajudando Desmond a puxar a canoa até a costa. Hurley observa.]

SAYID: Você está bem, Desmond?

DESMOND: Nós precisamos impedir o Jack. Nós não podemos deixá-lo contatar aquele barco.

SAWYER: Calma, Scottie, tudo está bem, o barco está a caminho.

DESMOND: O quê? A caminho? Não.

HURLEY: Ei, cadê o Charlie?

DESMOND: Não, aquela mulher, Naomi, ela mentiu. As pessoas no barco não são quem eles tão dizendo que são.

JULIET: O quê?

SAWYER: Então, quem são eles?

HURLEY: Desmond, cadê o Charlie?

DESMOND: Eu não sei, mas nós precisamos contatar Jack, agora!!

JULIET: Está tudo bem, nós podemos ligar para ele, nós temos um telefone. Está tudo okay.

DESMOND: Cadê ele? Pegue-o.

BERNARD: O que você quer dizer com as pessoas não quem eles dizem que são?

HURLEY: (Grita) Cadê o Charlie?!!

[Todos param]

DESMOND: (Pausa) Eu... me desculpe, brotha. Eu...

[Todos percebem que Charlie está morto]

Segundo Ato

[Na torre de rádio, um telefone toca]

KATE: É a nossa carona.

[Jack atende o telefone via satélite]

JACK: Alô.

MINKOWSKI: Ei Jack. Sou George Minkowski. Nós estamos tentando traçar o seu sinal aí, mas nós estamos tendo uma interferência na rede. Nós precisamos que você refaça algumas configurações no telefone via satélite.

JACK: É claro, ok, só me fale o que eu tenho que fazer.

MINKOWSKI: Que tal colocar Naomi no telefone?

JACK: Naomi foi pegar lenha. Você pode esperar por um segundo, deixa eu ver se eu...

[Kate vira, e percebe que o corpo de Naomi não está mais ali. Ben se senta um pouco e olha fixamente para os dois. Jack para de falar com Minkowski]

JACK: Cadê ela?

BEN: (Sorri de maneira forçada e murmura “Eu avisei”).

[Na praia, o grupo ainda ouve as notícias de Desmond]

SAWYER: Olha, nós temos que ligar para o médico.

SAYID: Você escutou Desmond? Charlie escreveu em sua mão.

SAWYER: Olha, me desculpe se ele está morto. Mas eu não sei que diabos “não é o barco da Penny” significa.

SAYID: Ligar para o Jack não ajuda em nada.

JULIET: Ajuda a alertá-lo.

SAYID: Mas também alerta as pessoas no cargueiro que nós suspeitamos deles. Não tenho dúvida de que eles estão monitorando nossas ligações, se nós ligarmos para o Jack...

SAWYER: Você sabe o quê? Eu tenho o walkie, eu vou fazer a ligação. Hey!

[Hurley pega o walkie da mão de Sawyer e joga no mar]

HURLEY: É melhor nós irmos.

SAWYER: (Grita) Ir aonde?

[Na torre de rádio, Jack distribui tochas enquanto Rousseau se aproxima]

ROUSSEAU: Eu encontrei sangue. A trilha da garota. Provavelmente estava rastejando. Pode estar um pouco mais de dez minutos à nossa frente. Deveríamos ir, agora, e encontrá-la.

JACK: (Aponta para Ben) Nós vamos levá-lo conosco.

ROUSSEAU: Por que deveríamos fazer isso?

JACK: Porque eu não confio nele com outra pessoa que não seja eu.

[Jack vai até o restante do grupo]

JACK: Certo, ouçam. Eu preciso que todos desçam de volta à praia. Quando estas pessoas chegarem, temos que nos certificar de que nos acharam facilmente. Certo?

CLAIRE: Você parece preocupado, Jack.

JACK: A única coisa que me preocupa é perder nossa carona para casa.

[Todos se preparam para partir e Kate vai até Jack]

KATE: Eu encontrei a trilha dela. Ela seguiu para o oeste da Ilha.

JACK: Então você a encontrou. Nós vamos atrás dela agora.

KATE: Mas, você tem certeza de que é ela?

JACK: A menos que mais alguém esteja sangrando...

KATE: Mas se ela não quiser que nós a encontremos, pode ter criado uma trilha falsa. I acho que nós poderíamos seguir as duas, neste caso.

JACK: Kate, daqui a seis horas nós vamos estar sentados em um barco, rindo de do fato de que afinal nisso, não concordamos. Naomi está ferida, ela correu selva adentro, não está pensando em deixar trilhas falsas.

KATE: Você está certo.

JACK: Eu vou seguir a trilha dela. Porque você não leva todos de volta à praia.

KATE: Vou fazer isso.

[Kate abraça Jack, e Ben assiste]

KATE: Tenha cuidado, ok?

[Kate vai embora e Jack segue com Rousseau e Ben]

[Na praia, o grupo da costa se prepara para se encontrar com o grupo que seguiu em direção à torre de rádio]

SAWYER: Me diga que diabos você tem, Hugo? Eles vão todos voltar de manhã, se você apenas ficar esperando.

HURLEY: Você não pode esperar com avisos cara, você avisa...

[O grupo divide armas]

SAWYER: E eu aqui, achando que ia ter uma boa noite de sono.

[No flash-forward, Hurley joga Connect 4 num hospício com alguns pacientes]

HURLEY: Você quase me pegou dessa vez. Que tal melhor de sete?

ENFERMEIRA: Você está pronto para seus medicamentos, Hugo?

[Hurley pega o medicamento e toma rapidamente]

ENFERMEIRA: E por acaso, você tem visita.

[Hurley olha ao redor e vê um homem com crachá de visitante em outra mesa. Hurley vai até ele]

VISITANTE: Sr. Reyes. Oi. Meu nome é Matthew Abaddon. Eu sou advogado da Oceanic Airlines. Nós podemos conversar por alguns minutos?

HURLEY: Ok.

MATTHEW: Estou aqui, Sr Reyes, porque nós ouvimos sobre o seu recente (pausa) episódio. Você foi preso. E seu encarceramento aqui. Francamente, nós estamos mal por isso. Então, em nome da Oceanic, eu gostaria de convidá-lo a uma pequena melhora.

HURLEY: Que tipo de melhoramento?

MATTHEW: Para uma instalação onde a tinta não está descascando das paredes. Onde você terá seu próprio banheiro. Você pode ver o mar de lá...

HURLEY: Eu não quero ver o mar.

MATTHEW: Sem problemas.

HURLEY: Na verdade, obrigado, Eu estou bem aqui.

MATTHEW: Você está bem, Sr. Reyes?

HURLEY: O que você quer dizer?

MATTHEW: Você está em um hospício.

HURLEY: Você pode me dizer quem você é, de novo? Eu gostaria de ver seu cartão.

[Abaddon procura em seu bolso, e não apresenta nada]

MATTHEW: Eu devo ter deixado em casa.

HURLEY: Então acabamos, cara.

[Hurley se prepara para ir]

MATTHEW: Eles ainda estão vivos?

HURLEY: (Pausa) O quê?

MATTHEW: Você me ouviu.

HURLEY: Enfermeira. Enfermeira! Saia daqui! É melhor sair daqui! Socorro. Socorro, ele está atrás de mim. Não não não. Esse cara está atrás de mim. Socorro.

ENFERMEIRAS: Está ok, está ok.

[O homem deixa o quarto, fechando a porta atrás de si. Hurley apenas observa]

[Na mata à noite, Hurley e o grupo seguem caminhando]

SAWYER: Está tudo bem aí, Hugo?

HURLEY: Sim, cara, estou bem.

SAWYER: Quer conversar sobre isso?

HURLEY: Conversar sobre o quê?

SAWYER: Charlie. Eu digo, vocês dois eram amigos, eu só achei...

HURLEY: Nós provavelmente chegaremos ao Jack mais rápido se não conversarmos.

[Hurley continua caminhando]

SAWYER: Eu vou acelerar e dizer a eles para irem mais devagar.

HURLEY: Eu posso acompanhar.

SAWYER: Certo "ese"... então chame se precisar de mim,

[Sawyer então segue em frente. Hurley segue devagar, perdendo a trilha dos outros sobreviventes]

HURLEY: Caras. Caras! Caras! Caras!!! Caras!

[Hurley pára em frente à cabana de Jacob e escuta sussurros]

Terceiro Ato

[Enquanto isso, Jack está seguindo a trilha de Naomi com Rousseau e Ben]

ROUSSEAU: A trilha de sangue acaba aqui.

JACK: O que isso quer dizer?

ROUSSEAU: Acabou.

JACK: Você está me dizendo que ela parou de sangrar aqui?

ROUSSEAU: Não. Eu estou dizendo que ela nos enganou. Nos passou para trás.

BEN: É melhor ligar para o barco. Dizer a eles que ela está pegando um feixe de lenha realmente grande.

[Jack faz um gesto para pegar o telefone, mas percebe que ele não está em seu bolso]

JACK: Onde está?

BEN: Certo, eu provavelmente deveria ter dito que vi ela pegar o telefone, mas você me bateu, Jack. Eu te devia isso.

JACK: Sobre o que você está falando?

BEN: Kate o pegou de você quando se abraçaram.

[Jack percebe seu engano]

BEN: Ela encontrou a trilha certa também, mas você não quis ouvi-la. Eu acho que ela resolveu tomar a situação. Mas olhe pelo lado bom, pelo menos alguém aqui sabe realmente o que está fazendo.

[Jack e Rousseau voltam para a direção de onde vieram. Jack dá um forte puxão na corda que amarra as mãos de Ben, lhe causando dor. Enquanto isso, Kate está seguindo a trilha verdadeira. O telefone via satélite começa a tocar. Kate pára, e resolve atender.] KATE: Alô.

MINKOWSKI: Quem é?

KATE: Anh, aqui é Kate.

MINKOWSKI: Você está com Jack?

KATE: Não, não, ele não está aqui.

MINKOWSKI: Onde está Naomi?

KATE: Estamos procurando por ela.

MINKOWSKI: O que você quer dizer, vocês estão procurando por ela?

[Kate termina a ligação. Gotas de sangue caem em seu braço. Ela olha para cima e vê Naomi cair em cima dela com uma faca, que coloca no pescoço de Kate]

NAOMI: Me dê o telefone. Me dê o telefone.

KATE: Naomi, me escute. Você está ferida, me deixe ajudá-la.

NAOMI: Me ajudar? Eu passei os últimos três dias tentando fazer com que vocês fossem resgatados. E vocês acertaram uma faca nas minhas costas.

KATE: Não, não fomos nós.

NAOMI: Quem?

KATE: Seu nome é John Locke.

NAOMI: Por que?

KATE: Ele disse que vocês não são quem dizem ser.

[O telefone toca]

KATE: Eu juro por Deus, nós nunca quisemos machucar você, você nos conhece. Por favor, nós precisamos de sua ajuda, por favor, nos ajude.

NAOMI: Me dê o telefone.

[Kate entrega o aparelho. Naomi a solta e responde]

NAOMI: George. É Naomi.

MINKOWSKI: Naomi, por onde esteve? O que está acontecendo aí?

[Naomi olha para Kate]

NAOMI: Eu sofri um acidente. Estou ferida.

MINKOWSKI: O quê? Um acidente, que acidente? O que aconteceu? Naomi? Alô? Alô?

[Naomi continua olhando Kate fixamente]

NAOMI: Eu acertei um galho de árvore quando aterrissei. Ele perfurou meu intestino.

MINKOWSKI: Por que eles me disseram que você estava recolhendo lenha?

NAOMI: Eu acho que eles estavam com medo de dizer o que aconteceu até que eu pudesse contar por mim mesma.

MINKOWSKI: Nós perdemos sua frequência e não podemos chegar até você. Você pode mudar as configurações do telefone?

NAOMI: Sim. (Ela pressiona os botões do telefone) Tente agora.

MINKOWSKI: Claro como um sino. Fique firme Naomi, nós vamos chegar aí o mais rápido possível, certo?

NAOMI: Me desculpe, George. Apenas diga à minha irmã que eu a amo.

[Naomi entre em colapso. Kate percebe que ela está morta]

[Na cabana de Jacob, Hurley se aproxima com cuidado. Existe um luz no interior]

HURLEY: Olá?

[Hurley olha pela janela para dentro da casa, vendo a pintura de um cachorro na parede, e um homem na cadeira de balance. Outro homem se aproxima da janela, deixando visíveis seus olhos. Hurley corre]

HURLEY: Socorro! Socorro! Socorro!!!

[Hurley dá a volta e de repente a casa está atrás dele. A fechadura da porta gira. Hurley fecha os olhos]

HURLEY: Não tem nada aqui. Não tem nada aqui. Não tem nada aqui. Não tem nada aqui.

[Hurley abre seus olhos de novo e a casa havia sumido. Ele corre e acaba tropeçando. Grita e abre os olhos novamente. John Locke está parado em sua frente.]

LOCKE: Oi, Hugo.

Quarto Ato

[Corta para Hurley e Locke sentados juntos]

LOCKE: Você seguia sozinho e se perdeu, Hugo. Como se separou do grupo?

HURLEY: Eu só, fiquei para trás, eu acho.

LOCKE: E por que estava gritando por socorro?

HURLEY: Eu estava assustado.

LOCKE: O que Desmond disse que aconteceu lá em baixo na estação, “não é o barco de Penny”. Você tem certeza do que Charlie escreveu em sua mão?

HURLEY: Jack nunca deveria ter ligado para aquelas pessoas.

LOCKE: Eu não poderia concordar mais.

HURLEY: Vai ser duro, contar a eles que estavam pensando que viriam aqui para nos resgatar.

LOCKE: Bem, nós apenas temos que tentar fazer o nosso melhor, Hugo. Porque se nós não pudermos dizer a eles, então Charlie terá morrido por nada.

[Sawyer, Juliet e os outros estão em frente aos destroços da parte dianteira do avião. Hurley chega. ]

SAWYER: Onde diabos você esteve, Hugo?

HURLEY: Desculpe, eu só… me perdi.

[Locke chega também]

SAYID: O quê você está fazendo aqui?

LOCKE: Eu vim aqui pelo mesmo motivo que você, para advertir Jack sobre as pessoas daquele barco. Eu já tinha dado dicas a ele, mas, acredito que vou ter mais sorte com algum apoio.

SAYID: Você quer meu apoio? Você pode me dizer por que destruiu aquele submarino?

[O grupo ouve vozes. Eles engatilham suas armas. Outros sobreviventes chegam da torre de radio.]

SUN: (Fala coreano]

[Sun corre abraça Jin. Claire procura por Charlie. Rose vê Bernard e corre para abraçá-lo]

BERNARD: Ainda inteiro.

ROSE: Rambo.

[Ela toca um machucado em sua testa]

BERNARD: Ai!

[Eles riem e se abraçam. Juliet também abraça Alex. Desmond vai falar com Claire. Hurley o impede]

HURLEY: Eu vou dizer a ela.

[Ele vai até ela, chorando]

HURLEY: Ele está morto. Charlie está morto.

CLAIRE: Não.

[Eles se abraçam e choram juntos. Todos observam]

[No flash-forward, Hurley está sentado do lado de fora da instituição para doentes mentais. Ele desenha um esquimó e um iglu. Um paciente se aproxima de Hurley]

PACIENTE: Eu não olharia se fosse você.

HURLEY: Do que você está falando, cara?

PACIENTE: Tem um cara ali, olhando para você.

HURLEY: Que cara?

[O paciente aponta]

PACIENTE: Aquele cara.

[Hurley olha adiante apavorado. Charlie está em um carro]

CHARLIE: Ei cara. Não corra. Hurley. Apenas, apenas, sente-se. Eu quero falar com você. Venha. Não faça o que você fez na loja, certo? Não precisa pirar.

HURLEY: Não precisa pirar? Eu estou tentando comprar algo, e de repente você está lá em pé. Você está morto, o que você espera que eu faça?

CHARLIE: A gente pode apenas se sentar?

HURLEY: Eu posso estar em um hospício, mas eu sei que você está morto e eu não terei uma conversa imaginária com você.

[Charlie tira seus óculos escuros e encara Hugo nos olhos]

CHARLIE: Eu estou morto. Mas eu também estou aqui.

HURLEY: Certo, prove.

[Charlie bate em Hurley]

HURLEY: Tudo bem, certo.

[Eles se sentam juntos]

HURLEY: Você sabia que ia morrer quando nadou até lá?

[Charlie acenou]

HURLEY: Então por que você não me disse?

CHARLIE: Porque você tentaria me impedir. E como eu ia fazer isso de qualquer jeito eu pensei que poderia livrar você de todo o drama. E agora você tem que fazer uma coisa. Mas você está se escondendo. Essa é o real motivo pelo que você correu quando me viu na loja. Você sabia que eu estava aqui para te dizer.

HURLEY: Eu não estou escutando isso. Não estou porque você não está aqui.

[Hurley tampa seus ouvidos e esconde sua cara]

CHARLIE: Eu estou aqui, e você está sendo um bebê.

HURLEY: Eu vou fechar meus olhos e contar até cinco, quando eu abrir você terá sumido.

CHARLIE: Eu estou aqui.

HURLEY: Um!

CHARLIE: Não faça isso.

HURLEY: Dois!

CHARLIE: Eles precisam de você.

HURLEY: Três!

CHARLIE: Eles precisam de você, Hugo.

HURLEY: Quatro!

CHARLIE: Você sabe que eles precisam de você.

HURLEY: Cinco!

[Hurley abre os olhos, e Charlie se foi]

[De volta ao tempo real, Hurley ainda está abraçado a Claire]

CLAIRE: O quê, o quê aconteceu? Eu quero dizer, como, como ele...

HURLEY: Ele estava tentando nos ajudar.

[Todos permanecem em silêncio, até que Rousseau e Ben chegam. Locke se vira, e Jack o acerta no rosto sem prévio aviso. Os outros observam. Locke tenta pegar sua arma, mas Jack a tira de suas mãos. Ele engatilha a arma]

JULIET: Jack.

LOCKE: Você não vai atirar em mim. Assim como eu não iria...

[Jack puxa o gatilho, mas a arma falha]

LOCKE: Não está carregada.

Quinto Ato

[Jack ataca Locke. Sawyer e Sayid apartam a briga]

SAWYER: Venha.

JACK: Me deixe! Você sabe o que ele fez?

SAYID: (Grita) Sim, eu sei o que ele fez!

[Locke se levanta]

LOCKE: Tudo que eu fiz, tudo que eu tenho feito tem sido pelo bem de todos nós.

JACK: Você está doido?

LOCKE: Eu sei eu, eu tenho muito o que explicar. Mas eu nunca fiz nada para machucar nenhum de vocês. Eu até arrisquei minha vida para avisá-los de que havia uma traidora entre vocês. (Ele aponta para Juliet).

JACK: Ela nos ajudou, John. Tudo o que você fez foi destruir todas as chances que tivemos de sair dessa ilha. Você matou Naomi.

BEN: Bem, tecnicamente, ele não a matou, ainda.

KATE: Sim, ele matou.

[Os outros se viram para ver Kate chegar]

KATE: Ela está morta. Ela não denunciou você, John. Ela cooperou conosco, e consertou isso.

[Kate dá o telefone via satélite para Jack]

KATE: Eles estão a caminho.

LOCKE: Ela não cooperou com ninguém. Ela queria que sua gente chegasse aqui. E acreditem em mim, quando eles chegarem, é melhor estar bem longe daqui. Eu estou indo para o acampamento dos Outros, porque eles o abandonaram. É o único lugar da Ilha com algum tipo de segurança agora. É o que eu posso fazer nesse momento, até que possa pensar em algo melhor. Até lá, quem quiser sobreviver, deveria vir comigo.

JACK: Ninguém vai a lugar nenhum com você, John. Porque eles não são loucos.

HURLEY: Ele não é louco. E o que me diz de Charlie? Charlie foi até aquele lugar só para que nós pudéssemos ser resgatados. E o que quer que tenha feito, funcionou. Mas alguma coisa deve ter acontecido. Ele deve ter ouvido alguma coisa antes de … (Pausa) Eu não sei porque, mas ele mudou de idéia.

[Imagens de flashback mostram Charlie se afogando, e mostrando a Desmond a mensagem em sua mão]

HURLEY: Porque a última coisa que ele fez foi nos avisar que aquelas pessoas do barco não são quem elas dizem ser. Então, eu não vou ouvir você, vou ouvir meu amigo, vou ouvir Charlie.

[Hurley se junta a Locke]

LOCKE: Ninguém mais? Não temos muito tempo.

[Claire e outras pessoas se juntam a eles]

BEN: Jack com sua permissão, eu gostaria de ir com o John.

JACK: Ele é todo seu.

[Ben e Rousseau vão Locke, assim como Alex e Karl]

BERNARD: (para Rose) Você disse que nunca deixaria essa Ilha. Se você quiser ir com Locke, eu vou estar bem atrás de você.

ROSE: Eu não vou a lugar algum com aquele homem.

[Sawyer faz um gesto para ir com Locke]

KATE: O que você está fazendo?

SAWYER: O que sempre tenho feito, Kate: sobrevivendo.

[Começa a chover. Todos parecem sombrios]

LOCKE: Você sabe onde nos encontrar, se mudar de idéia.

[Locke leva seu grupo para longe, dividindo os sobreviventes em duas partes]

[No flash-forward, Hurley joga basquete. Jack entra no ginásio]

JACK: Você já errou?

[Ele sorri, como Hurley]

HURLEY: Jack.

JACK: É, eu estava voltando da minha consulta. Pensando em parar e te fazer uma visita. Uma partida?

HURLEY: Sua vez. Então... consulta, é? Quer dizer que você voltou a fazer cirurgias e tal?

[Jack começa a jogar basquete com Hurley]

JACK: É.

[Hurley joga e acerta. Jack joga e erra]

JACK: Um ponto.

HURLEY: Os repórteres deixaram você em paz?

[Hurley joga e acerta]

JACK: Sim. Ainda tenho que assinar alguns autógrafos quando saio para um café.

JACK: Estou pensando em deixar a barba crescer.

[Ele joga e erra de novo]

HURLEY: Você deve ficar estranho com barba, cara. Mais um ponto. Então, o que você realmente está fazendo aqui, Jack?

JACK: Eu só estava checando você, vendo se está tudo bem.

HURLEY: Checando para ver se eu estou maluco, se eu ia contar.

JACK: Você está?

HURLEY: Sua vez.

JACK: Ah, você ganhou. Eu, bem, tenho que ir. Foi bom ver você, Hurley.

[Jack começa a ir]

HURLEY: Me desculpe. Me desculpe eu ter ido com Locke. Eu deveria ter ficado com você.

JACK: Isso são águas passadas, cara.

HURLEY: Eu não acho que a gente fez a coisa certa, Jack. Eu acho que ela quer que a gente volte.

JACK: Hurley.

HURLEY: E ela irá fazer tudo que pode...

JACK: (Grita) Nós nunca vamos voltar!

[Jack vai à porta]

HURLEY: Nunca diga nunca, cara.

[De volta ao tempo real. Jack e kate observa a dianteira dos destroços do avião]

KATE: Você está pensando em Charlie?

JACK: Sinto como se fizesse cem anos que viemos aqui juntos. Como isso aconteceu?

[Barulhos podem ser ouvidos]

KATE: Os trovões estão ficando mais fortes.

JACK: Não é um trovão.

[O som é de um helicóptero, que acende as luzes. Jack e Kate vêem alguém saltar de pára-quedas dele.]

JACK: Venha.

[Eles encontram o paraquedista, que retira o capacete e os olha fixamente]

PARAQUEDISTA: Você é o Jack?

[Jack e Kate se entreolham, apreensivos...]

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória