FANDOM



Sexta Temporada, Episódio 6: Sundown

Escrito por: Paul Zbyszewski & Graham Roland

Dirigido por: Bobby Roth


Primeiro Ato

[Sayid está sentado na parte de trás de um táxi, olhando pela janela.]

TAXISTA: O taxímetro não para até que você saia, parceiro.

[Sayid dá o dinheiro ao taxista.]

SAYID: Fique com o troco.

[Sayid sai do táxi, com um buquê de flores em mãos. Ele vai até a porta de uma das casa (subúrbio de Los Angeles) e toca a campainha. Nadia atende.]

NADIA: Sayid.

[Eles se beijam na face, e se abraçam.]

SAYID: Olá, Nadia.

[Duas crianças correm até a porta.]

EVA: Você está aqui!

SAM: Onde você esteve, tio Sayid?

[Eva abraça Sayid.]

SAYID: Eu estava em Sidney.

EVA: Onde fica Sidney?

OMER: [aparecendo] Na Austrália. [se aproximando] Trouxe flores para minha esposa, Sayid?

[Nadia parece incomodada.]

SAYID: As dou para você se quiser.

[Omer sorri, abraça e beija Sayid na face.]

OMER: É bom te ver, Sayid.

SAYID: Bom te ver, também, irmão.

OMER: Venha.

--

[Eles estão sentados junto a uma mesa.]

EVA: Tio Sayid, o que você trouxe para nós da Austrália?

SAYID: Vai olhar na minha bolsa. Está no sofá. [As crianças vão até a bolsa]

NADIA: É bom que tenha vindo, Sayid. Eles sentiram sua falta.

OMER: Temos sorte só dele ter aparecido! O andarilho do mundo em suas exóticas viagens de negócios.

SAYID: Traduzir contratos para uma companhia petrolífera não é nada exótico. E, é extremamente monótono.

OMER: Tem... um pouco de aventura no mundo da lavagem a seco.

NADIA: Ele está sendo modesto. Omer acaba de abrir uma nova loja.

SAYID: Parabéns.

[O telefone celular de Omer toca.]

NADIA: Eu pensei termos conversado sobre celulares na mesa de jantar...

[Omer confere quem está ligando.]

OMER: O jantar acabou. Isso são negócios. [ele atende o telefone] Sim?

[Omer deixa a sala.]

NADIA: Você recebeu minhas cartas?

SAYID: Sim.

NADIA: Você nunca escreveu de volta.

[As crianças voltam trazendo bumerangues.]

SAM: Eles são incríveis! Obrigado!

SAYID: De nada.

EVA: Mamãe, encontramos uma foto sua na bolsa do tio Sayid.

[Eva entrega a foto para Nadia. Omer observa a uma certa distância.]

---

[No templo, Sayid caminha até a sala de Dogen.]

SAYID: Quero conversar com você. Eu quero algumas respostas.

DOGEN: Respostas ao quê?

SAYID: Vamos começar com aquela máquina. Você me prendeu nesta coisa, você enfiou agulhas em mim, e chamou isso de um teste.

DOGEN: Para cada homem, existe um balança. Em um lado da balança existe bondade. No outro lado, maldade. Esta máquina nos diz como a escala está balanceada. E, a sua inclinou pro lado errado.

SAYID: E, por isso você tentou me envenenar?

DOGEN: Sim. Eu acho que seria melhor se estivesse morto.

SAYID: Você acha que em conhece, mas não conhece. Eu sou um bom homem. Então, se está tentando me matar...

[De repente, Dogen derruba Sayid com uma chave de braço. Sayid consegue se levantar, e os dois começam a lutar. Dogen acerta Sayid com um chute, e parte para cima do iraquiano, que se defende jogando o que encontra na direção do japonês. Dogen pega um toco de madeira e tenta acertar Sayid, que se protege com saltos e cambalhotas. Ele tanta se defender com uma vassoura, mas Dogen o derruba facilmente. Sayid agarra Dogen e os dois voam por sobre a mesa, dando continuidade a briga. Mais uma vez, Dogen imobiliza Sayid. Nesse momento, a bola de beisebol começa a rolar em direção ao fim da mesa. Dogen está prestes a matar Sayid com uma faca, quando vê a bola cair no chão. Ele para.]

DOGEN: Vá. Deixe este lugar. Nunca volte.

[Ele solta o Sayid e pega a bola de beisebol. Sayid tenta recuperar o fôlego.]

--

[Lá fora, do outro lado do lago e do anel de cinzas, estão Claire e "Locke".]

"LOCKE": Está pronta?

CLAIRE: Por que tem que ser eu? Quer dizer, você poderia enviar o Sawyer, ou o Jin ou... ir você mesmo...

"LOCKE": Se eu pudesse ir sozinho, eu não estaria te pedindo, Claire.

CLAIRE: Se eu for lá, eu quero saber se você vai fazer o que disse. Eu quero o meu filho de volta.

"LOCKE": Eu sempre cumpro o que falo.

[Claire atravessa o anel de cinzas e vira para "Locke".]

CLAIRE: Você vai machucá-los?

"LOCKE": Apenas aqueles que não me escutarem.

[Claire se dirige ao templo.]

LOST

Segundo Ato

[Sayid está dormindo no sofá. Alguém se aproxima, e o toca no ombro. Sayid reage rapidamente, derrubando a pessoa.]

OMER: Sou eu! Acalme-se!

SAYID: O que está fazendo? São duas e meia da manhã.

OMER: Sayid... estou com problemas.

SAYID: Que tipo de problema?

OMER: Eu peguei dinheiro para abrir a segunda loja. Mas... eu não peguei de um banco. Eu paguei o empréstimo, mas o homem que me emprestou, ele disse que ainda devo juros mensais, pelo tempo que tiver o meu negócio.

SAYID: Se precisa de dinheiro, eu empresto para você.

OMER: Eu não preciso de dinheiro, Sayid! Eu preciso que você convença essas pessoas a me deixarem em paz.

SAYID: Convencer eles?

OMER: Sayid, não esqueça com quem está falando. Eu sei o que você fez na guerra. Você foi um interrogador da Guarda Republicana. Eu sei que tipo de homem você é.

SAYID: Se você acha que eu vou ferir alguém, só porque você fez um mal negócio...

OMER: Não, isso não se trata de mim! Nossas economias... se foi, Sayid... toda ela! Podemos perder a nossa casa! Por favor! Olha... Eu sei que se importa com a Nadia. Se liga pra nós... para ela... você vai fazer isso, Sayid.

SAYID: Eu lamento. Eu não sou mais esse homem.

---

[Sayid anda pelo pátio do templo. Ele pega uma mochila.]

MILES: O que está fazendo?

SAYID: Estou partindo. Eu fui banido.

MILES: Banido? Pelo quê?

SAYID: Aparentemente, eu sou mal. Essas pessoas dizem que sou melhor morto. O que é surpreendente, considerando que foram eles que salvaram minha vida.

MILES: Bem, na verdade, não foram eles. Eles... ele tentaram te salvar, mas... você estava morto, cara. Por duas horas. Acredite em mim, quando você levantou, eles estavam tão surpresos quanto o resto de nós. Estão, seja lá o que te trouxe de volta, não foram eles.

[Claire entra no templo, com as mãos sobre a cabeça. Os outros apontam as armas para ela.]

OUTRO (HOMEM): Parada...

LENNON: Pare! Não atire nela.

[Claire vê Dogen, e se dirige até ele.]

LENNON: O que está fazendo aqui?

CLAIRE: Ele quer te ver.

DOGEN: [falando algo em japonês para Lennon]

CLAIRE: Fale em inglês.

DOGEN: Quem quer me ver?

CLAIRE: Você sabe quem?

DOGEN: Se ele quer me ver, então diga para ele vir aqui.

CLAIRE: não, ele quer que você vá até ele. Ele está esperando lá fora, depois do muro externo.

DOGEN: Eu não sou tolo. Se eu pisar fora desse templo, ele vai me matar.

CLAIRE: Bem, então você deveria enviar alguém que ele não vá matar.

[Claire se vira para ir embora.]

DOGEN: Detenham-na!

[Claire é detida.]

DOGEN: [em japonês: "Coloquem a garota no buraco até que isto seja resolvido. Então, traga o Shephard e o Reyes para os meus aposentos, imediatamente.]

LENNON: Isso vai ser um pouco difícil. Não conseguimos encontrá-los.

DOGEN: [em japonês: Procure melhor!]

LENNON: [para os Outros segurando Claire] Vamos!

[Os outros levam Claire.]

DOGEN: [para Sayid] Venha comigo.

SAYID: Eu pensei que quisesse que eu partisse.

DOGEN: As coisas mudaram.

--

[Dogen entra em sua sala, seguido por Sayid.]

DOGEN: Seus amigos, Shephard e Reyes. Sabe onde eles foram?

SAYID: Não, não sei.

[Dogen pega uma caixa de madeira, escondida dentro de um vaso de planta.]

SAYID: Por que Claire está aqui? E do que ela estava falando?

DOGEN: Ela e uma garota confusa, sob a influência de um homem furioso.

SAYID: Que homem?

DOEN: Por anos, ele esteve preso, mas agora que Jacob se foi, ele está livre. Esse homem não vai parar até que tenha destruído todas coisa viva nesta ilha. Ele é o mal encarnado.

SAYID: E você quer que eu fale com ele?

DOGEN: Não. [Dogen retira uma adaga da caixa] Eu quero que você o mate. Ele vai se apresentar como alguém que você conhece, alguém que morreu. Assim que ver ele crave isso fundo no peito dele. [Dogen desembainha a adaga.] Se permitir que ele fale, já será tarde demais.

SAYID: Desde que cheguei aqui, eu fui afogado, surrado e torturado... por suas mãos. Por que eu faria algo por você?

DOGEN: Você disse que ainda há bondade em sua alma... [Dogen entrega a adaga para Sayid] Então prove.

Terceiro Ato

[Sayid está levando seus sobrinho para o ponto de ônibus.]

GAROTO: [passando correndo] Ei, espere!

SAM: Quanto tempo você vai ficar, tio Sayid?

SAYID: Apenas mais alguns dias. Eu tenho que ir para Toronto, trabalhar.

SAM: Gostamos quando você está aqui.

[Sayid se ajoelha para colocar a mochila nas costas de Eva.]

EVA: É, e mamãe gosta também.

[O ônibus escolar chega no ponto.]

SAYID: Ok, comportem-se. [Ele beija as crianças.]

[As crianças entram no ônibus, que parte. Sayid acena para crianças. Nadia sai apressada da casa, parecendo preocupada.]

NADIA: Sayid!

--

[Nadia e Sayid estão andando pelo corredor de um hospital. Vemos Jack passando (sem nenhuma relação com o evento). Dois médicos guiam Omer em uma maca pelo corredor, um terceiro conversa com Nadia e Sayid.]

NADIA: Omer! O que aconteceu, ele vai ficar bem!?

MÉDICO: Estou o levando para cirurgia, agora. Ele teve um pulmão perfurado, e um pouco de hemorragia interna.

SAYID: Sabe como isso aconteceu?

MÉDICO: Os paramédicos acham que ele foi assaltado; Eu venho vê-los assim que ele estiver estável.

[O cirurgião se retira. Sayid anda em direção a saída.]

NADIA: Sayid! Onde está indo?

SAYID: Fique aqui com Omer.

NADIA: Isso não foi um assalto, foi? Seja lá o que estiver pensando em fazer, não faça. Eu não quero que faça, por favor. Apenas, vá para casa. Espere pelas crianças. Faça-as se sentir seguras, Sayid. Fará isso?

SAYID: Sim. [Ele a abraça]

---

[Sayid está caminhando pela mata.]

KATE: Olá?

[Sayid para e vê Kate se aproximando.]

KATE: Sayid?

SAYID: Olá Kate.

KATE: Você está partindo?

SAYID: Não tenho certeza.

KATE: O que perdi?

SAYID: Pergunte ao Miles.

[Sayid parte, deixando Kate confusa.]

--

[Kate volta ao templo, e a porta é aberta sem problemas para ela.]

KATE: Obrigada.

[Miles está jogando paciência, quando vê Kate chegar.]

MILES: Uau...

KATE: É bom te ver também, Miles.

MILES: Sawyer te dispensou, huh? Eu pensei em ir atrás dele, também, mas... eu sabia que ele iria acabar me repreendendo até eu me virar e voltar. Foi bem isso que aconteceu?

KATE: Bem isso.

MILES: Bem, seja bem vinda de volta ao circo.

KATE: O que está acontecendo aqui?

MILES: Bem, vamos ver... oh! A garota australiana está de volta.

KATE: Espere, o quê?

MILES: Sabe a... a loira? Aquela que tinha o bebê?

KATE: Claire?

MILES: Certo, Claire. Ela deu as cara aqui, uma duas horas atrás, agindo toda esquisita. Continua atraente, no entanto.

KATE: Miles, cadê ela? [Miles balança a cabeça negativamente] Onde ela está?

--

[Na selva, Sayid interrompe a caminhada para beber água do cantil. A vegetação começa a se mexer. Ele escuta o barulho do monstro ao seu redor. Sayid prepara a adaga. De repente, surge "Locke".]

"LOCKE": Olá, Sayid.

[Sem cerimônias, Sayid crava a adaga no peito de "Locke". O inimigo parece sentir o golpe, mas apesar disso, retira a adaga do peito sem ter se ferido. Sayid fica sem reação.]

"LOCKE": Agora, por que você faria isso?

Quarto Ato

[Locke se aproxima de Sayid com a adaga. Não há sangue na adaga, muito menos no peito de "Locke". Sayid fica temeroso.]

"LOCKE": Você a quer de volta? Pegue, eu não vou morder.

[Sayid pega a adaga.]

SAYID: O que é você?

"LOCKE": Bem, Sayid, você parece ter uma idéia disso, considerando que me apunhalou no peito sem sequer dizer "olá". O que eles te disseram?

SAYID: Eles disseram que você é o mal encarnado.

"LOCKE": Sinto pena de você.

SAYID: Por quê?

"LOCKE": Dogen... o homem que te enviou até aqui, sabia que você não tinha nenhuma chance de me matar, e ele acreditou que eu o mataria se tentasse. E, essa não foi a primeira vez que ele tentou conseguir alguém que fizesse isso por ele, foi?

SAYID: Não.

"LOCKE": Então, devia ter vergonha, por ter sido persuadido tão facilmente.

SAYID: E do que você quer me persuadir?

"LOCKE": Como?

SAYID: Você não me matou. Claramente, há algo que você quer.

"LOCKE": Eu só quero que você entregue uma mensagem, isso é tudo.

SAYID: Então, por que não pediu para Claire entregar?

"LOCKE": Porque significará muito mais vindo de você. Sayid, se você fizer isso por mim... e se eu dissesse que você pode ter qualquer coisa que queira. E se eu dissesse que você pode ter qualquer coisa do mundo?

SAYID: Eu diria que a única coisa que eu sempre quis, morreu em meus braços, e eu nunca vou vê-la de novo.

LOCKE: E se pudesse?

[Locke sorri. Sayid parece persuadido.]

---

[Flash-Sideway]

[Sayid está concertando um vaso quebrado. Nadia chega na casa.]

SAYID: Ah... Nós tivemos um acidente infortúnio, envolvendo um bumerangue. Minhas desculpas.

NADIA: A que horas as crianças foram para a cama?

SAYID: Umas duas horas atrás.

NADIA: E o que você disse a eles?

SAYID: Que o papai sofreu um acidente, mas ficará bem.

NADIA: Ele ainda está se recuperando da cirurgia, mas está acordado agora. Ele te contou sobre o empréstimo?

SAYID: Olha, eu tenho dinheiro.

NADIA: Não, essa responsabilidade é do Omer. Ele provocou isso sozinho.

[Sayid parece concordar

NADIA: Por que você não quis ficar comigo? Você leva a minha foto com você, Sayid. Se gosta de mim, por que me empurrou para o seu irmão?

[Sayid segura as mãos de Nadia.]

SAYID: Pelos últimos doze anos, eu tenho tentado limpar as minhas mãos de todas as coisas horríveis que fiz. Eu não posso ficar com você, porque eu não a mereço.

---

[Sayid volta para o templo. Dogen está no lago, olhando a chuva que cai. Ele vê Sayid se aproximar.]

DOGEN: O que aconteceu?

[Sayid o ignora, e se dirige para um grupo de Outros.]

SAYID: Tem um homem na selva... cerca de um quilometro e meio, no muro externo ao sul de nós. Ele me mandou de volta aqui para entregar uma mensagem. Ele quer que saibam que Jacob está morto. E porque ele se foi, nenhum de vocês precisa ficar mais aqui. Vocês estão livres.

[Cindy abraça Zack e Emma, enquanto ouve a mensagem.]

SAYID: O homem que encontrei vai deixar a ilha para sempre, e aqueles que quiserem ir com ele, devem deixar o templo se juntar a ele. Vocês tem até o pôr do sol para se decidir.

CINDY: O que acontece no pôr do sol se ficarmos?

SAYID: Vocês morrem.

[Sayid olha para Dogen que fica sem reação.]

--

[Kate anda pelos corredores templo, Lennon a avista.]

LENNON: Hei! Quando você voltou? Ford e Kwon estão com você?

KATE: Onde está a Claire?

LENNON: Ok, eu preciso que você me diga o que preciso saber antes de...

[Kate pressiona Lennon contra a parede.]

KATE: Eu perguntei, onde está a Claire?

LENNON: Tudo bem... apenas me solte, ok?

[Lennon leva Kate para uma sala com um buraco no chão.

LENNON: Você tem dois minutos.

[Podemos ouvir Claire cantando "Catch a Falling Star", dentro do buraco. Kate se agacha perto do buraco.]

KATE: Claire?

[Claire, que estava sentada, olhando para um pequena fogueira, para de cantar e olha para cima.]

KATE: Claire, sou eu.

CLAIRE: [se levantando] Kate?

KATE: Você está bem?

CLAIRE: Eu... eu não acredito que você está aqui. Eles te capturaram, também?

KATE: Não. Não, eles... por que eles te colocaram aí embaixo? O que aconteceu?

CLAIRE: Eles pegaram o meu filho, Kate. Eles pegaram o Aaron. Eles tiraram ele de mim.

KATE: Não. Não, Claire. Eles não pegaram o Aaron. Eu o peguei.

CLAIRE: O quê?

KATE: Eu tirei ele da ilha. Você sumiu, e não conseguimos te achar, então... eu o criei. E ele é o mais lindo, incrível garotinho. Mas, eu voltei aqui para te resgatar, para que você possa estar com ele. Então, vocês poderão ficar juntos de novo.

CLAIRE: Não sou eu que preciso ser resgatada, Kate.

[Claire sorri estranhamente. Kate parece confusa.]

LENNON: Tempo esgotado, vamos.

[O guarda tira Kate de perto do buraco.]

KATE: Não! Não, espere! Não! Espere, espere!

LENNON: Você queria vê-la. Agora, vamos!

[Kate é levada para fora da sala.]

CLAIRE: Ele está vindo, Kate! Ele está vindo, e eles não podem pará-lo!

Quinto Ato

[Os Outros estão agitados, pessoas indo em direção a saída. Sayid caminha calmamente]

LENNON: Todo mundo se acalme! Vai ficar bem! Não, não, espere! Espere...

[Lennon vê Sayid]

LENNON: Hei! Hei, você criou pânico aqui. Nosso pessoal está partindo.

SAYID: Me pediram para entregar uma mensagem, e foi o que fiz. O que o seu pessoal vai fazer agora, depende deles.

[Lennon vê Cindy indo em direção a saída.]

LENNON: Cindy, espere. Vocês estão todos seguros aqui. Enquanto estivermos no templo, ele não pode nos tocar.

CINDY: Você o escutou. Jacob está morto. E se não for mais seguro aqui, não podemos correr esse risco.

[Cindy e várias outras pessoas se retiram do templo.]

LENNON: Todos, escutem! Isso é um blefe! Ele não pode entrar! Ele não pode entrar!

[Miles aborda Sayid.]

MILES: Hei, o que aconteceu lá fora? Um minuto você está banido, depois você volta dizendo a todos que eles vão morrer.

SAYID: Se resume a isso.

MILES: Então... nós vamos sair daqui ou o quê?

SAYID: Ainda não.

[Ele desembainha a adaga.]

SAYID: Eu tenho que devolver isto.

---

[Flash-Sideway]

[Sayid está saindo da casa onde Omer e Nadia moram. Um carro estaciona perto dele, e um homem sai. Podemos reconhecer o homem como sendo Omar da quarta temporada.]

OMAR: Indo pegar as crianças?

SAYID: Como?

[Outro homem sai do carro.]

OMAR: Por que não entra no carro? [Sayid não responde.] Entre no carro, Sayid.

[Sayid não se move.]

OMAR: [Em Árabe: "A não ser que queira que busquemos as crianças juntos."]

[Relutante, Sayid entra no carro.]

--

[Ele é levado até a cozinha de um restaurante. Ao chegar lá, vemos um homem fritando um ovo numa frigideira.]

OMAR: Por que não se senta?

[Sayid senta em uma cadeira.]

KEAMY: Hei, você quer ovos? Eu posso... prepara como quiser. Frito, mexido... [ele vira para um de seus homens] ainda temos a omeleteira? Onde está a omeleteira? [de volta para Sayid] Quer ovo pochê? Por que eu posso fazer um ótimo ovo pochê.

SAYID: Não. Obrigado.

KEAMY: Eu faço bons ovos... não? Tudo bem.

[Keamy coloca seu ovo frito em um prato.]

KEAMY: Martin Keamy.

SAYID: Sayid Jarrah, mas você já sabe disso.

[Eles apertam mãos.]

KEAMY: Disso eu sei. É, certo...

[Keamy se senta.]

KEAMY: Então, Sayid... Como está o seu irmão?

[Sayid não responde.]

KEAMY: [para um de seus comparsas] O irmão dele foi assaltado em frente à própria loja. É simplesmente, terrível. [para Sayid] Mas, pelo menos desse jeito, sabe, você ainda está por aqui para tomar conta da família dele. Você quer tomar conta da família dele, não é?

[Sayid confirma.]

KEAMY: Sim? Sabe, posso ver que você é um cara direto, Sayid. Então, eu vou logo ao ponto. Seu irmão, ele pegou dinheiro de mim, e assim como todo mundo que pega dinheiro, ou tem um empréstimo a pagar, ele tem que fazer pagamentos.

SAYID: Meu irmão disse que ele pagou tudo que devia, e que você ainda quer mais.

KEAMY: Sayid, isso é uma mentira. O seu irmão deve a mim, e alguém vai me pagar esse dinheiro.

SAYID: Você colocou o meu irmão no hospital?

KEAMY: O quê? você acha que foi eu? Eu não fiz isso, sabe, é um mundo perigoso, Sayid. E você sabe disso porque é do Iraque. Você nunca sabe quando alguém vai aparecer e...

[Sayid de repente ataca Omar, com uma cotovelada na barriga. O segundo capanga de Keamy atira em Sayid, mas acerta Omar, que é usado como escudo. Sayid rouba a arma de Omar e atira de volta, derrubando o outro sujeito. Agora, ficou apenas Sayid e Keamy para negociar.]

KEAMY: uou, uou, uou... tá certo... ok. Apenas relaxe.

SAYID: Cale-se!

KEAMY: Ok, certo, certo, ok? Está feito, tá certo? Seu irmão não me deve nada. O débito está perdoado, Tá certo?

[Sayid não responde.]

KEAMY: Está bom? Ok? Apenas relaxe... esqueça isso.

SAYID: Não posso.

[Sayid atira em Keamy, que cai morto.]

[Logo em seguida, Sayid escuta batidas vindo de um freezer. Ele abre o freezer e encontra Jin, amarrado lá dentro.]

[Sayid remove a mordaça de Jin.]

JIN: [em coreano: "Por favor, não me mate." (trad aprox)]

SAYID: Quem é você?

JIN: Não inglês!

Sexto Ato

[Dogen se senta perto da fonte no templo, segurando a bola de beisebol. Sayid entra trazendo a adaga.]

DOGEN: Você deixou ele falar com você...

SAYID: Eu o apunhalei no peito, como você me disse. Daí deixei ele falar comigo.

[Sayid larga a adaga no chão.]

SAYID: É a segunda vez que você tenta conseguir alguém para me matar. Você teve a oportunidade de fazer você mesmo. Por que não fez?

DOGEN: Eu já fui um homem de negócios, em Osaka. Eu trabalhava em um banco. Eu era bom em meu trabalho, muito bem sucedido. E uma sexta, eu fui promovido. meus associados me levaram para celebrar. Eu tinha muito pelo que beber. Toda sexta-feira, eu pegava o meu filho no treino de beisebol. Ele tinha doze anos. O acidente foi muito ruim. Eu sobrevivi, mas meu filho... E então, no hospital, um homem veio até mim. Um homem que nunca havia conhecido, e ele me disse que podia salvar a vida do meu filho, mas eu teria de vir para cá... para essa ilha... onde eu teria um novo trabalho, e eu não poderia ver o meu garoto de novo.

[Sayid senta-se próximo a Dogen.]

SAYID: Quem era esse homem?

DOGEN: O nome dele era Jacob.

SAYID: Jacob sabe negociar.

DOGEN: O homem lá fora... suponho que lhe ofereceu uma barganha similar.

SAYID: Sim.

DOGEN: É pôr do sol. Você vai escolher ficar ou partir?

SAYID: Eu gostaria de ficar.

[Sayid ataca Dogen, o jogando para a piscina da fonte. Sayid segura Dogen embaixo da água. Dogen se debate, até que para. Ele morre, afogado. A bola de beisebol, que ainda estava em sua mão é solta.]

[Lennon entra e vê Dogen morto.]

LENNON: Oh meu deus... o que você fez!?

[Lennon entra na água para examinar o corpo de Dogen.]

LENNON: Você percebe o que acabou de fazer? Ele era a única coisa que mantinha aquela coisa fora! Idiota! Você acaba de deixar ele entrar!

[Podemos ouvir o barulho do monstro a distância. Sayid pega a adaga do chão e corta a garganta de Lennon.]

SAYID: Eu sei.

--

[Lá fora, Miles escuta o estranho barulho do monstro. Os guardas olham a vegetação do outro lado do lago se mexendo. De repente, uma das árvores explode.]

KATE: [para miles] Temos que sair daqui agora.

[O monstro invade o templo e ataca os Outros que sobraram.]

KATE: Corre! Corre! Corre!

MILES: Por aqui!

[Miles e Kate correm pelo pátio interno, enquanto o monstro arrasta e atira pessoas para todo lado, derruba tudo que encontra em seu caminho.]

MILES: Por aqui! Por aqui!

KATE: Eu tenho que buscar a Claire!

[Eles se separam. Miles entra em uma sala, e segura a porta para o monstro não entrar. Alguém tenta abrir a porta do outro lado, e Miles não consegue segurar, sendo derrubado. Ilana entra na sala, apontando sua arma.]

ILANA: Onde está Shephard, e Reyes e Ford?

MILES: Quem diabos é você?

ILANA: Apenas responda a pergunta!

MILES: Eles se foram, todos partiram. Eu sou o único que restou. Kate e eu nos separamos.

[Frank, Sun e Ben entram na sala.]

MILES: Lapidus? Como você...

FRANK: Colocaremos o papo em dia depois. Quer viver? Melhor mexer o traseiro!

ILANA: E Jarrah? Ele está aqui?

MILES: Sim, ele foi até a sala da piscina.

BEN: Eu encontro ele.

[Ben se retira da sala.]

ILANA: Linus, espere! Certo.. o resto de vocês vem comigo, vamos!

--

[Kate corre até o buraco onde Claire está, e chuta uma escada para dentro do buraco.]

KATE: Claire, vamos! Claire, temos que ir, você tem que sair daí!

CLAIRE: [tranquila] Não.

KATE: O quê?

CLAIRE: Estaremos mais seguras aqui.

[O monstro de fumaça rompe pela sala. Kate se atira para dentro do buraco, segurando a escada. A fumaça passa por cima de sua cabeça, sem a tocar.]

--

[Ben chega na fonte e encontra Sayid, segurando a adaga ensanguentada, olhando os corpos de Lennon e Dogen.]

BEN: Sayid? Vamos. Eu conheço uma saída daqui. Ainda há tempo.

[Sayid sorri.]

SAYID: Não para mim.

[Ben recua temeroso e abandona o local.]

--

[Frank, Miles e Sun seguem Ilana pelo templo.]

MILES: Onde está o seu marido?

SUN: O quê?

MILES: Seu marido. Ele partiu ontem.

SUN: Jin esteve aqui? Ele está vivo?

MILES: Da última vez que o vi, sim.

[Frank observa Ilana olhando os desenhos na parede, enquanto o barulho do monstro parece cada vez mais perto.]

FRANK: Você escutou isso, certo? Você tem um plano, ou vai ficar olhando para a parede?

[Ilana encontra o desenho que procurava. Ela pressiona o bloco, que afunda.]

ILANA: Sim, eu tenho um plano.

[Uma passagem é aberta.]

ILANA: Todos para dentro, agora.

[O monstro passa pelo corredor, logo após eles saírem.]

--

[Montagem]

["Catch a Falling Star", ao fundo]

[Kate, Claire e Sayid andam pelo pátio interno do templo, que está está cheio de corpos espalhados pelo chão. Kate pega a arma de um dos homens mortos. Lá fora, eles se juntam a um grupo de pessoas reunidas por "Locke". O inimigo avista Kate. Ele, então, se vira e parte para a selva. Kate fica confusa ao ver Locke vivo. O grupo o segue.]

LOST

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória