FANDOM



Sexta Temporada, Episódio 1 - "LA X, Partes 1 & 2"

Escrito por: Damon Lindelof & Carlton Cuse

Dirigido por: Jack Bender



Anteriormente em Lost

[O inimigo conversa com Jacob aos pés da estátua.]

INIMIGO: Eles vêm, lutam, destroem e corrompem. Sempre acaba igual.

JACOB: Só precisa acabar uma vez. O que acontecer antes disso é progresso.

["Locke" fala com Ben na praia.]

"LOCKE": Não vou matar o Jacob, Ben. Você vai.

["Locke" e Ben encontram Jacob no pé da estátua.]

"LOCKE": Faça o que pedi, Ben.

JACOB: Quero que entenda uma coisa. Você tem escolha.

[Ben esfaqueia Jacob.]

JACOB: Eles estão vindo.

[Daniel explica o plano para Jack.]

FARADAY: O pessoal da Dharma na obra da Cisne vai perfurar o solo... e acidentalmente atingir um bolsão de energia. Acho que posso anular essa energia. Vou detonar uma bomba de hidrogênio.

[Jack conversa com Kate.]

JACK: Se fizermos o que Faraday disse, nosso avião nunca cairá. O voo 815 pousará em Los Angeles.

[Jack está prestes a largar a bomba no fosso.]

SAWYER: Rápido, doutor. O que está esperando?

[O incidente ocorre e tudo começa a tremer.]

RADZINSKY: Atingimos o bolsão.

[Uma corrente prende nas pernas de Juliet e a arrasta para o fosso.]

SAWYER: Juliet. Estou te segurando.

[Juliet cai.]

SAWYER: Juliet, não!

[No fundo do fosso, Juliet tenta detonar a bomba com uma pedra]

JULIET: Explode! Vai, explode! Explode, vai sua desgraçada!

[Um estrondo é ouvido e a tela fica completamente branca.]


Parte 1: Primeiro Ato

[A partir do branco, vemos nuvens. A imagem se afasta, revelando a janela de um avião. Jack olha pela janela, com o pensamento distante. Em seguida, olha ao seu redor, parecendo confuso.]

CINDY: Como está a bebida?

JACK: Está boa.

CINDY: Não foi uma resposta muito forte.

JACK: Não é uma bebida muito forte.

[Cindy entrega mais uma garrafinha de vodca para Jack.]

CINDY: Não conte a ninguém.

JACK: Vai ser o nosso segredo.

[Jack tenta preparar a bebida, mas o avião começa a sacudir.]

CINDY: [no auto-falante] Senhoras e senhores , o capitão ligou o sinal de "apertem os cintos".

[A turbulência termina.]

CINDY: [no auto-falante] Por favor, retornem aos seus lugares e mantenham os cintos apertados.

ROSE: Isso é normal. Meu marido diz que aviões querem ficar no ar.

JACK: Me parece um homem esperto.

ROSE: Você pode dizer a ele, quando ele voltar do banheiro.

JACK: Bem, te faço companhia até ele voltar. Não se preocupe é...

[O avião passa por uma nova turbulência.]

ROSE: Já pode soltar. Está tudo bem. Já pode soltar, agora.

[Jack solta as mãos que agarravam com força a poltrona. Ele está aliviado.]

JACK: Parece que conseguimos.

ROSE: Sim. Com certeza.

CAP. NORRIS: [no auto-falante] Perdão pelos solavancos inesperados, pessoal. Atingimos uma bolsa de ar. Deverá ser uma viajem tranquila daqui em diante.

BERNARD: [para Rose] Me lembre de segurar da próxima vez. Quase morri no banheiro. Agora sei como a roupa se sente na secadora.

ROSE: Senti sua falta.

BERNARD: Também senti a sua, linda.

[Jack se levanta e vai até o banheiro, onde se examina no espelho. Ele cuida de uma pequena ferida no pescoço. Jack volta para o seu lugar.]

JACK: Com licença.

DESMOND: Este assento é seu? A aeromoça disse que estava vazio.

JACK: Não, não. Eu estou na janela.

DESMOND: Ah certo. Escuta, companheiro, você se importa se eu ficar aqui? Tem um sujeito roncando do meu lado desde que saímos de Sidney.

JACK: Sem problemas.

DESMOND: Obrigado, irmão. [Jack parece intrigado com algo] Algum problema?

JACK: Não, é que... eu te conheço de algum lugar?

DESMOND: Não tenho certeza. [estendendo a mão] Desmond.

JACK: [o cumprimentando] Jack.

DESMOND: É um prazer conhecê-lo, Jack... ou revê-lo.

[Jack sorri.]

[A imagem atravessa o vidro da janela e mergulha pelo céu em direção ao oceano. Estamos agora no fundo do mar, passando pelas cercas sônicas e por cima da vila, completamente submersa. A imagem continua a atravessar o terreno, chegando a uma base de pedras, ao contorná-la vemos o pé da estátua.]


LOST


Parte 1: Segundo Ato

[De volta a cena do incidente. Peças de matal são atraídas para o fosso da estação Cisne. Uma corrente prende nas pernas de Juliet e a arrasta. Sawyer a segura.]

SAWYER: Juliet! Te peguei. Não, não largue!

[Juliet cai no fosso.]

SAWYER: Juliet! Não!

[No fundo do fosso, Juliet bate na bomba com uma pedra.]

JULIET: Vai, explode! Explode, sua desgraçada!

[Um estrondo é ouvido e tudo fica branco.]

[Vemos os olhos de uma mulher, Kate. Ela recupera a consciência e percebe que está no alto de uma árvore, quase caindo. (O som está abafado)]

KATE: Hei?! Olá!?

[Kate cuidadosamente desce da árvore.]

KATE: Olá!?

MILES: Hei!

[Kate se assusta e derruba Miles.]

MILES: Hei! Hei! Kate! Tudo bem. Sou eu, Miles. Tudo bem.

KATE: O que houve?

MILES: O quê?

KATE: Onde estamos?

MILES: Não... não consigo te ouvir. Seus ouvidos estão zumbindo?

[Kate encontra a entrada da estação Cisne.]

MILES: O que é isso?

KATE: Estamos de volta.

MILES: De volta onde?

[Kate corre e vê o buraco onde ficava a escotilha antes de Desmond virar a chave de segurança.]

KATE: Não.

MILES: Esse é o lugar da construção?

KATE: Não. Essa é a escotilha da Cisne... Depois que Desmond a explodiu.

MILES: Acho que não estamos em 1977, hun?

[Kate percebe dois corpos no chão, Jack e Sawyer, e vai até um deles...]

KATE: Jack? Jack? Pode me ouvir? Jack!

JACK: O que aconteceu? Onde estamos?

KATE: Na escotilha.

JACK: O quê? Eles a construíram.

[Sawyer aparece e chuta Jack na cabeça, o derrubando dentro da cratera.]

KATE: Sawyer!

SAWYER: Você estava errado! Essa é a maldita escotilha da Cisne... detonada, assim como havíamos deixado, antes de viajar pelo tempo! Você disse que podia evitar que ela fosse construída! Que nosso avião nunca cairia nessa ilha!

KATE: Pare!

SAWYER: Esse não é o LAX!

KATE: Pare!

SAWYER: Você nos mandou de volta para onde começamos. Exceto que Juliet está morta. Ela está morta seu filho da puta, porque você estava errado.

JACK: [se recuperando] Sawyer... eu lamento. Eu achei que devíamos... achei que funcionaria.

SAWYER: Bem, não funcionou!

---

[Flash-Sideway]

[No avião, Jack caminha em direção ao banheiro.]

JACK: Você está na fila?

MARS: Não, só estou esperando minha amiga.

[A porta é aberta. Kate sai do banheiro e esbarra em Jack, colocando a mão em seu peito.]

KATE: Desculpa, eu não...

JACK: [sorrindo] Tudo bem.

KATE: Eu não te vi aqui.

JACK: Tudo bem.

MARS: [apressando Kate] Vamos voltar para nossos lugares, coração.

[Eles voltam para os lugares. Mars passa uma bandeja com uma refeição para Kate.]

MARS: mmm... Lasanha.

[Mars retira os talheres da bandeja.]

MARS: Não. Nada de garfos e facas para você, querida.

KATE: O que você acha que vou fazer... te esfaquear e fugir?

[Um homem esbarra em Mars ao passar pelo corredor.]

MARS: Hei, olha por onde vai, parceiro.

SAWYER: [se virando e percebendo Kate] Perdão. Culpa minha. [Sawyer volta para o seu lugar]

ARTZ: Diga. Vamos, por favor. Só uma vez.

HURLEY: Eu realmente não quero, cara.

ARTZ: Eu amo aqueles comerciais. Vamos, apenas faça o sotaque australiano, e eu te deixo em paz.

HURLEY: Tá, tudo bem. [sotaque australiano] "Oi! Tenha um dia Cluckty-Cluck, companheiro!"

[Artz cai no riso.]

ARTZ: [para Sawyer] Sabe quem é esse? Esse é o dono do Mr. Cluck's Chicken, e ele.... ele está aqui atrás sentado com o resto de nós, otários. Hein?

SAWYER: Que tal isso?

ARTZ: Hei, você se importa se eu perguntar, como exatamente um cara como você acabou dono de uma grande corporação?

HURLEY: Eu ganhei na loteria, e gosto de galinha. Então, comprei.

ARTZ: Que bom. Que bom pra você. [Artz deixa Hurley em paz]

SAWYER: Sabe, você não devia dizer as pessoas que ganhou na loteria.

HURLEY: É? Por que não?

SAWYER: Porque vão se aproveitar de você. Por isso.

HURLEY: Obrigado pelo conselho, cara, mas não vai acontecer.

SAWYER: Não vai, hun?

HURLEY: Não. Nada de ruim jamais acontece comigo. Eu sou o cara mais sortudo com vida. [Hurley coloca os fones de ouvido]

---

[Na Ilha. Hurley ampara Sayid perto da van.]

HURLEY: O que aconteceu!?

JIN: Eu achei uma lanterna.

HURLEY: Cara, quem se importa? O céu foi do dia para a noite. O que houve?

JIN: Acho que viajamos pelo tempo.

HURLEY: Como sabe disso?

JIN: Clarão, dor de cabeça, não conseguir ouvir. Aconteceu comigo antes.

HURLEY: E quanto ao Jack e todos os outros? Eles viajaram pelo tempo, também?

JIN: Eu não sei. Eles pegaram a outra van, e foram até a construção... e então eu ouvi tiros.

HURLEY: Shhh!

SAWYER: [gritando a distância] Você disse que o avião nunca cairia nessa ilha.

HURLEY: Você ouviu isso, cara? É o Sawyer.

JIN: Fique aqui com o Sayid.

[De volta na cratera da escotilha.]

JACK: A bomba deve ter explodido.

SAWYER: Você acha que se uma bomba atômica explodisse, ainda estaríamos aqui?

JACK: Eu não sei.

SAWYER: Isso mesmo! Você não sabe! Enfim, você não sabe!

JIN: [chegando] Jack! Sayid precisa de ajuda.

JACK: Onde ele está?

JIN: Com o Hurley, na van. Dois minutos daqui. Ele ainda está sangrando. Não sabemos o que fazer.

[Uma voz abafada ao fundo: "Socorro"]

SAWYER: O que diz, doutor? Tem outra grande idéia para salvar o Sayid? Talvez, tenha uma ogiva de bobeira por aí.

KATE: [escutando a voz abafada] Hei, cale-se!

JULIET: Socorro.

SAWYER: Juliet!

JULIET: James?

KATE: Oh, meu deus.

SAWYER: Juliet!

[Sayid tosse. Hurley examina a ferida da bala.]

HURLEY: Oh Deus. Oh, Deus, isso é nojento... Não se preocupe, cara. Tudo vai ficar bem.

SAYID: [sem forças] Quando eu morrer... o que acha que vai acontecer comigo?

HURLEY: Apenas... apenas tente não falar, cara.

SAYID: Eu torturei mais pessoas do que posso lembrar. Eu matei. Para onde estou indo... não deve ser muito agradável.

HURLEY: Sayid, qual é?

SAYID: Eu mereço isso.

[Um barulho vem da vegetação, alertando Hurley.]

HURLEY: Olá!? Jin!? Jin!

[Mais barulho de alguém se aproximando. Hurley pega uma arma.]

HURLEY: Eu tenho uma arma!

[Hurley tenta engatilhar a pistola.]

HURLEY: ...E eu sei atirar!

[Hurley aponta a arma em uma direção, mas o barulho agora vem de trás dele. Hurley se vira lentamente, com medo de olhar. Saindo das sombras, um homem acena para ele.]

JACOB: Olá, Hugo. Tem um minuto?


Parte 1: Terceiro Ato

[No avião, Sun observa Rose e Bernard, sentados algumas poltronas a sua frente.]

JIN: [em coreano] "Por que está olhando para eles?"

SUN: [em coreano] "Eu... eles parecem tão felizes."

JIN: "Abotoe a sua blusa."

[Locke examina as instruções de segurança do avião.]

BOONE: Está desperdiçando o seu tempo, cara. Esse avião caindo no oceano, tão longe assim, acho que as chances de sobrevivência são exatamente zero.

LOCKE: Na verdade, em um mar calmo, com um bom piloto, poderíamos sobreviver a uma aterrissagem na água... e... uhn... os tanques de combustível flutuariam o suficiente para nos manter a salvo até chegarmos nos botes salva-vidas. [Boone fica surpreso] O que foi?

BOONE: Não, é apenas impressionante que saiba disso. Então, o que fazia na Austrália? Negócios ou prazer?

LOCKE: Prazer. Você?

BOONE: Eu fui até lá para tirar a minha irmã de um relacionamento ruim. Acabou que ela não queria sair dele. Então... aqui estou. Então, você estava "lá embaixo" de férias?

LOCKE: Na verdade, eu fui em uma "walkabout".

BOONE: Sério? Tipo... tipo o Crocodilo Dundee?

LOCKE: [risos] Não, não exatamente. Mas... mas, foi bastante intenso. Nós... nós passamos dez dias no "Outback" e, uhn, nada além de nossas mochilas e facas. Dormimos embaixo das estrelas e fizemos nosso próprio fogo, caçamos nossa própria comida.

BOONE: Wow. Eu não passaria dois dias sem meu telefone celular. [ambos riem] Você não está me enganando, está?

LOCKE: Porque te enganaria?

BOONE: Essa coisa caindo, eu vou ficar perto de você.

[Locke sorri e dá um sinal de positivo com o polegar.]

---

[No pé da estátua, "Locke" (o inimigo) corta um pedaço de tecido do chão e limpa sua faca. Ben está parado olhando para o fogo, onde Jacob fora lançado. No entanto, não há corpo lá.]

"LOCKE": Você pode parar de olhar para o fogo. Jacob se foi. Ele se foi.

BEN: Por que ele não resisitiu? Por que ele deixou eu o matar?

"LOCKE": Acho que ele sabia que havia sido derrotado. Ben... quero que vá lá fora e diga ao Richard que preciso falar com ele.

BEN: Falar com ele... o quê?

"LOCKE": Isso é entre mim e Richard.

[Na parte de fora, Richard discute com Ilana e Bram.]

RICHARD: Não há outra razão.

BRAM: Não, não é assim que vai ser.

RICHARD: Você tem que... você não vai entrar lá.

RICHARD: [palavras inaudíveis...] Apenas se afaste um pouco, ok?

SUN: [para Lapidus] Quem são eles?

LAPIDUS: Fora o fato de estarem no voo da Ajira conosco, tudo que sei é que me nocautearam e arrastaram o meu traseiro até uma cabana, que eles logo queimaram. Daí... me trouxeram aqui, junto com o cara morto na caixa. Eles dizem que são os "mocinhos". [Sun olha intrigada] Eu também não acredito.

RICHARD: Me escute. Hei! me escute, e escute com atenção. Ninguém entra lá a não ser que seja convidado por Jacob.

ILANA: Richard, por isso estamos aqui, porque jacob nos convidou.

RICHARD: Me perguntar o que tem na sombra da porcaria da estátua não significa que está no comando.

ILANA: Então, quem está?

BEN: [saindo da estátua] Richard?

RICHARD: Ben. O que aconteceu lá dentro?

BEN: Está tudo bem. John quer falar com você.

ILANA: Jacob está bem?

BEN: Me desculpe. Quem é você?

RICHARD: Responda a pergunta, Ben.

BEN: Certo, é claro que Jacob está bem. Ambos estão juntos lá dentro. John apenas quer falar com você.

RICHARD: John quer falar comigo?

BEN: Isso mesmo.

[Richard segura Ben pelo braço e o arrasta pela praia.]

BEN: Richard, o que está fazendo? Eu não entendo.

RICHARD: Certo, fico feliz em falar com John, mas antes disso... talvez, você devesse falar com ele primeiro.

[Richard joga Ben na areia, perto do contêiner virado, onde o corpo do verdadeiro Locke está. Ben fica surpreso e assustado.]


Parte 1: Quarto Ato

[Sawyer, Kate, Jack, Miles e Jin vasculham os escombros da estação cisne.]

SAWYER: Aguenta firme, Juliet.

JACK: Jin! a lanterna!

[Jack pega a lanterna de Jin e ilumina o buraco no centro da cratera.]

SAWYER: Se movermos essa viga, acho que consigo descer lá. [Sawyer tenta mover a viga de metal] é muito pesada... precisamos de algo para puxá-la, Jin! A van. Tem correntes nela. Vá pegá-las!

[Jin corre pela mata.]

[Hurley segue Jacob até o local onde Sayid está deitado.]

HURLEY: Onde está indo, cara? E o que faz aqui? Quero dizer... eu te conheci em um táxi, e você sabia tudo sobre mim, e você me deu uma passagem de avião que por acaso me trouxe de volta para essa ilha. Como sabia que isso ia acontecer?

[Jacob está concentrado em Sayid, e não responde as perguntas de Hurley.]

HURLEY? Olá? Pode me ouvir? Por que não responde minhas perguntas?

[Jacob se agacha perto de Sayid, pensativo.]

HURLEY: Olha, o meu amigo Jin estará aqui a qualquer segundo, então melhor parar de me ignorar...

JACOB: Seu amigo Jin não será capaz de me ver.

HURLEY: Por que não?

JACOB: Porque eu morri há uma hora atrás.

HURLEY: Desculpa, cara, que chato.

[Jacob se levanta]

JACOB: Obrigado.

HURLEY: Como você morreu?

JACOB: Eu fui morto por um velho amigo que se cansou de minha companhia.

[Hurley pensa por um momento.]

HURLEY: Você quer que eu faça algo maluco, novamente, não quer?

JACOB: Não. Eu preciso que salve o Sayid, Hugo.

HURLEY: É por isso que o Jin foi buscar o Jack...

JACOB: Jin não pode ajudá-lo. Você precisa levar Sayid ao templo. É a única chance que ele tem... e o resto deles estará a salvo lá.

HURLEY: O templo? Eu deveria saber onde isso fica?

JACOB: Jin sabe. Peça que te leve a um buraco no muro, onde ele esteve com a equipe francesa. Através dessa entrada, você poderá chegar ao templo. Ainda tem o estojo de violão que te dei?

HURLEY: Sim...

JACOB: Leve-o.

HURLEY: Quem é você, cara?

JACOB: Jacob.

[Hurley fica surpreso, reconhecendo o nome. Jin aparece saindo da mata.]

JIN: Hurley, me ajuda com o sayid. Temos que colocá-lo na van. Juliet precisa de nossa ajuda.

[Hurley percebe que Jacob desapareceu.]

JIN: Vamos, temos que ir!

[Hurley ajuda Jin a colocar Sayid na van.]

[A van segue pela mata com Jin na direção. Hurley está com Sayid na parte de trás.]

HURLEY: Jin, se eu te pedir para me levar até onde tem, tipo, um buraco no muro... onde você esteve com a equipe francesa... você saberia do que estou falando?

[Jin pensa por um momento.]

JIN: Sim.

HURLEY: Bom.

[Na cratera da Swan, o grupo escuta a van se aproximando.]

JACK: Eu pego as correntes.

[Jack sai, e Miles o segue para ajudar.]

SAWYER: Juliet!

[Ele tenta novamente mover a viga, mas Kate o afasta.]

KATE: Pare com isso! Pare, Sawyer! A van chegou, as correntes estão vindo.

SAWYER: Ela não está fazendo mais barulho...

KATE: Não. Ela sabe que estamos aqui. Ela deve estar descansando.

SAWYER: Juliet!

[Jin, Jack e Miles preparam a corrente.]

SAWYER: Se ela morrer, eu o mato.

---

[Flash-Sideway]

[Jack está sentado em sua poltrona no avião.]

CINDY: [no auto-falante] Senhoras e senhores, nada para se alarmarem, mas se houver algum médico a bordo, poderia apertar o botão de pedido, por favor?

[Um sinal é ouvido.]

[Cindy se aproxima de Jack, e desliga o botão que ele acionara.]

CINDY: Senhor? Você é médico?

JACK: Sim.

CINDY: Poderia vir comigo, por favor.

[Jack segue Cindy pelo corredor.]

CINDY: Agradecemos sua ajuda. Um passageiro entrou no banheiro há meia hora, e não responde quando batemos na porta.

[Outro comissário do avião está batendo na porta.]

CINDY: Esse senhor é um médico. Se ele estiver inconsciente aí dentro...

COMISSÁRIO: Bem, eu acho que ele se trancou, está... travada ou algo. Eu não sei.

SAYID: [aparecendo] Posso prestar alguma ajuda? [Ninguém responde] Com licença.

[Sayid arromba a porta do banheiro com um chute.]

[Jack entra no banheiro e checa a pulsação de um desfalecido, vemos o anel "DS" no dedo do homem. Jack examina a respiração dele.]

JACK: Ele não está respirando.

[Temos a confirmação de que o homem dessacordado é Charlie.]


Parte 1: Quinto Ato

[Cindy se apressa pelo corredor com suprimentos médicos.]

SAWYER: O que está havendo lá atrás, "Earheart"?

CINDY: Está tudo bem, senhor, por favor fique no seu lugar.

SAWYER: ...É, parece bacana.

JACK: [para Sayid] Senhor, vou precisar de sua ajuda.

SAYID: O que posso fazer?

JACK: Preciso que [Jack pega uma bomba de ar manual] segure isso em cima da boca dele... segure e não deixe o ar escapar.

SAYID: Ok, agora?

JACK: Sim, agora.

[Jack bombeia ar para Charlie.]

JACK: Algo está bloqueando a passagem de ar. [Jack coloca os dedos dentro da boca de Charlie] Eu vou ter que abrir. Eu preciso, uhn, algo afiado... uma lâmina... [Cindy procura por algo que ajude.] Eu tenho uma caneta.

SAYID: Uma caneta?

CINDY: É o regulamento, não há nada afiado.

JACK: Uma caneta! Apenas uma caneta. [Jack procura nos bolsos] Eu tinha uma caneta no meu paletó, mas sumiu. Droga.

[Jack tenta novamente retirar o que obstrui a respiração de Charlie.]

JACK: Eu peguei, peguei.

[Ele retira um saquinho de heroína de dentro da garganta de Charlie, que reage.]

JACK: Relaxe, apenas relaxe.

CHARLIE: Estou vivo?

JACK: É, está vivo.

CHARLIE: ...ótimo.

---

[Na ilha, Sawyer e Kate amarram a corrente em volta da viga, enquanto Jin a amarra na van.]

JACK: Conseguiu?

SAWYER: Ok, Jin! Está tudo certo aqui! Acelera! [Jin acelera a van.]

[Eles se esforçam para remover o escombro e conseguem.]

SAWYER: Me dê a lanterna. [Sawyer desce o buraco] Juliet! Ok... estou indo, Juliet? [Sawyer a encontra] Hei, estou aqui, vamos querida, vamos, acorde. [Juliet abre os olhos]

JULIET: Oi.

SAWYER: Hei.

JULIET: On... on... onde estamos?

SAWYER: Não se preocupe. Você está bem. Tenho que tirá-la daqui, ok?

JULIET: Não funcionou, ainda estamos na ilha.

SAWYER: Tudo bem, tudo bem. Eu só tenho que abrir espaço para tirar você daqui, ok?

JULIET: Não, eu bati na bomba, e você ainda está aqui.

SAWYER: Você o quê?... bateu na bomba? Por quê?

JULIET: Eu queria que você pudesse ir pra casa. Eu queria fazer você nunca ter vindo pra porcaria dessa ilha. [Juliet começa a chorar] Não funcionou.

SAWYER: Não se preocupe com isso. Você vai ficar bem. Vou te tirar daqui e nós vamos para casa juntos, me escutou?

KATE: Sawyer!?

[Jack está examinando a ferida de Sayid.]

JACK: Mesmo que eu pudesse tirar a bala, o sangramento não vai parar. Não há nada que eu possa fazer por ele.

HURLEY: Há algo que eu posso fazer. Existe um templo, se pudermos levar Sayid lá, poderemos salvá-lo.

MILES: E como você sabe disso?

HURLEY: Esse cara, Jacob, me contou antes de chegarmos aqui.

JACK: Quem é Jacob?

HURLEY: Isso importa? Você pode consertar o Sayid, Jack?

JACK: Não.

HURLEY: Então, você vai ter que me deixar fazer.

[Jack concorda.]

[Na praia, perto da estátua, Ben olha para o corpo do verdadeiro Locke.]

RICHARD: Ben, precisa falar comigo. Eu não posso impedi-los a não ser que me diga o que houve lá. O que aconteceu com Jacob. [Ben fica em silêncio] Você e eu nos conhecemos tem 30 anos, Ben. Estou pedindo como um amigo.

BEN: Você quer saber o que aconteceu, Richard? Por que não entra e descobre?

[Bram aparece, segurando Ben pelo braço.]

RICHARD: O que está fazendo?

BRAM: Nós vamos entrar, e ele vem conosco.

[Bram e mais três do grupo de Ilana entram na estátua, levando Ben. "Locke" está sentando esperando pacientemente. Ben entra primeiro na sala.]

"LOCKE": Cadê o Richard?

BEN: Ele não virá.

"LOCKE": Então, quem está atrás de você?

[Bram e seus companheiros entram na sala, apontando os rifles e olhando ao redor.]

BRAM: Onde está o Jacob?

"LOCKE": Jacob está morto.

[Eles engatilham os rifles e apontam para "Locke".]

BRAM: Quem é você?

"LOCKE": Não se preocupe comigo. Vamos falar de vocês. Eu presumo que sejam... o quê? Os guarda costas de Jacob? E que viajaram todo esse caminho até a ilha para protegê-lo? Bem, eu tenho boas notícias. Jacob foi queimado, bem aqui nessa fogueira. Sendo assim, não há nada para proteger. Vocês podem ir. Estão livres.

[Bram atira em "Locke" que parece sentir o impacto. Todos disparam seus rifles. Locke corre para trás de uma pilastra. Ben também tenta se proteger.]

BRAM: Matem ele! Se espalhem! Peguem ele! Onde ele está?

[Bram recolhe do chão uma bala danificada pelo impacto, mas sem sangue nela.]

[Podemos ouvir o barulho do monstro tomando conta do ambiente. A fumaça preta aparece. Ben corre em busca de proteção.]

[O monstro investe contra Bram e seus companheiros. Eles tentam atirar na fumaça, mas sem resultado. Um a um são pegos e lançados contra o chão, e contra as paredes da sala. Bram corre e faz um círculo ao seu redor com algum tipo de cinza. O monstro hesita por um instante. Então ataca o teto da sala, derrubando uma pedra. Um pedaço atinge Bram, que se desequilibra, saindo do círculo. o monstro o ataca, e o mata.

[O monstro desaparece. Ben caminha pela sala, escuta passos e se vira...]

LOCKE: Eu lamento você ter me visto daquele jeito.


Parte 1: Sexto Ato

KATE: Sawyer!? Ela está bem?

SAYER: Estou cuidando disso.

[Sawyer batalha para remover os escombros que cobrem a perna de Juliet]

SAWYER: Ok, ok, te peguei, te peguei... não se preocupe.

JULIET: Podemos tomar café alguma hora.

SAWYER: Eu tenho que te tirar daqui.

JULIET: Podemos dividir a conta.

SAWYER: Juliet... sou eu.

JULIET: James.

SAWYER: Sim.

JULIET: Me beije.

SAWYER: Pode deixar, loirinha.

[Eles se beijam.]

JULIET: Eu tenho que te contar algo, é muito importante.

SAWYER: Me conte... me conte... Juliet? [Juliet não responde] Me conte... [Sawyer começa a chorar] oh... oh meu deus...

[Jack, Miles, Hurle e Kate assistem Sawyer trazendo o corpo de Juliet nos braços para a superfície. Sawyer olha para Jack com um olhar de ira.]

SAWYER: Você fez isso.

---

[Flash-Sideway]

[Charlie é detido por dois funcionários da Oceanic, e então levado de volta para o seu lugar. Ele passa por Jack no caminho.]

CHARLIE: Devia ter deixado acontecer, cara. Eu devia morrer.

CINDY: Não se ofenda, algumas pessoas não sabem como dizer obrigado.

[Jack volta para seu assento, percebendo que Desmond não está mais lá.]

JACK: [para Rose] Com licença, você viu o que aconteceu com um sujeito que estava sentado perto de mim?

ROSE: Umm, nós cochilamos.

CAP NORRIS: [no auto-falante] Senhoras e senhores, capitão Norris falando, nós vamos começar nossa descida até o aeroporto internacional de Los Angeles. Fico feliz em dizer que é um belo dia em Los Angeles, 22 graus, 10 quilômetros de visibilidade e ventos vindos do sudoeste a 8 quilômetros por hora.

ROSE: [para Jack] Aperte o cinto, estamos quase em casa.

[Jack sorri e aperta o cinto.]

CAP NORRIS: Eu vou ligar o sinal de aperte o cinto agora. Estaremos no solo em apenas alguns minutos. Muito obrigado por voar pela Oceanic Air.

[Montagem]

[Cindy pede para Sawyer e Hurley colocarem o assento na posição vertical. Sayid olha a fotografia de Nadia. Jin olha o relógio Rolex e depois olha a através da janela. Vemos uma imagem aérea da cidade de LA. Boone e Locke aguardam a aterrissagem, Frogurt acorda. Cindy também se prepara para a descida. Kate e Jack olham pela janela enquanto o avião toca ae aproxima do chão.]

[O Oceanic 815 aterrissa no LAX, e taxia até o terminal. Dois policiais entram no avião, passando por Mars e Kate. Charlie é levado sob custódia pelos policiais, passando novamente por Jack no caminho. Mars retira Kate do avião, Sayid sai logo em seguida . Frogurt passa por cima de Locke, que é cumprimentado por Boone. Todos saem, ficando apenas Jack e Locke. Jack vê a cadeira de rodas sendo preparada para Locke. Eles trocam um olhar rápido. Jack deixa o avião, e Locke é retirado em seguida.]


Parte 2: Primeiro Ato

[Jack e Jin preparam uma maca para Sayid. Hurley pega o estojo de violão.]

MILES: Nós vamos cantar "Kum Ba Yah" no caminho?

HURLEY: Não é um violão, cara.

MILES: Então o que é?

KATE: [para Sawyer] Você vai com eles?

SAWYER: Não. Eu vou enterrá-la. [pegando uma pá da van.]

KATE: Deixe eu ajudar.

SAWYER: Ajude o Sayid. [para Miles] Hei, Miles. Se importa em ficar?

MILES: Pode deixar, chefe.

KATE: Eu vou deixar uma trilha para você nos seguir.

SAWYER: Eu não vou seguir ninguém, Kate.

HURLEY: [para Jack] Vocês estão prontos?

JACK: Quando você estiver.

[Sawyer levanta o corpo de Juliet, dando uma última olhada em Jack. Jack e Jin levantam Sayid.]

---

[Flash-Sideway]

FUNCIONÁRIO OCEANIC: [no auto-falante] Passageiro da Oceanic, Jack Shepard, por favor compareça ao balcão de atendimento mais próximo.

[Jack vai até um balcão da Oceanic.]

JACK: Oi, uh, eu sou Jack Shepard. Eu fui chamado?

FUNC. OCEANIC: Oh, Sr. Shepard, olá, sim... fui eu. Perdão, eu deveria encontrá-lo no portão.

JACK: Bem, eu estou aqui agora. Então...

FUNC. OCEANIC: Sr. Shepard, eu lamento profundamente, mas parece ter havido uma confusão envolvendo a, uhn, a "carga" que você despachou em Sidney.

JACK: "carga"?

FUNC. OCEANIC: Sim, senhor. Um caixão?

JACK: Eu não... eu não entendo. Quero dizer, você está dizendo que não está aqui?

FUNC. OCEANIC: Parece que nunca embarcou no avião.

JACK: O funeral é em duas horas... quando vai chegar?

FUNC. OCEANIC: Sr. Shepard, não posso dizer como lamentamos profundamente, mas não sabemos quando vai chegar. Porque não sabemos exatamente onde ele está.

---

[Na ilha, Jack, Sayid, Jin, Kate e Hurley chegam no muro em volta do templo.]

HURLEY: Esse é um muro grande.

JACK: Como vamos passar ele por cima?

[Hurley encontra o buraco embaixo do muro.]

HURLEY: [olhando pra baixo] Não vamos, nós vamos trazer ele por aqui.

[Eles descem, trazendo Sayid. Com a lanterna, Hurley ilumina um esqueleto (Montand), abandonado no corredor subterrâneo. Kate encontra uma bolsa, e Hurley encontra um livro junto com os ossos.]

HURLEY: Quem traz um livro para uma caverna?

[Após revirar a bolsa, Kate encontra fósforos. Ela se levanta e pega uma tocha perto do corpo abandonado.]

HURLEY: [olhando o esqueleto] E por que ele está sem um dos braços?

[Kate acende a tocha.]

JIN: Foi arrancado quando ele foi atacado pela fumaça preta.

HURLEY: Bem, isso vai ser maravilhoso.

[Eles chegam perto do buraco onde Ben caiu, anteriormente.]

JACK: Cuidado onde pisa.

KATE: Certo.

[Kate contorna o buraco.]

KATE: Ok.

[Hurley a segue e então espera por Jack e Jin, que trazem Sayid logo atrás. Kate continua andando, e então ouve sussurros.]

JACK: Cadê a Kate?

HURLEY: Ela estava bem ali.

JACK: Kate! Kate! Pode me ouvir? Kate! [Jack segue pelos corredores]

HURLEY: Jack! Não podemos [interrompido por algo] Hei... deixe-o [inaudível]

JACK: Hurley!... Jin!... Hurley!

[Jack ouve os sussurros. Ele é segurado por um homem e nocauteado por outro, recobrando a consciência enquanto é carregado para fora através de uma portinhola. Agora, eles são conduzidos pela mata por homens armados.]

JACK: Você está bem?

KATE: Sim. Você?

JACK: Sim.

[Eles são levados até perto de um lago. Do outro lado, podemos ver uma construção antiga em forma de pirâmide.]

HURLEY: Acho que encontramos o templo.


Parte 2: Segundo Ato

[Mars e Kate estão em um balcão do aeroporto.]

AGENTE DE IMIGRAÇÃO: Algo a declarar?

MARS: Apenas uma homicida.

[O agente carimba o passaporte de Mars, e eles se retiram.]

MARS: Ok.

KATE: Eu preciso ir ao banheiro.

MARS: Segura.

KATE: Eu não posso segurar.

MARS: Claro que pode, menina. Acredito em você.

KATE: Edward... por favor.

MARS: Tá certo, vamos. [Mars a leva ao banheiro feminino] Alguém aqui? tem alguém no banheiro feminino? Não se mexa [ele inspeciona um dos reservados] Ok, você tem dois minutos.

KATE: Obrigado.

[Kate tranca a porta e senta na privada, retirando uma caneta do bolso (que roubara de Jack no avião). Ela desmonta a caneta, deixando a mola escapar e rolar para fora do reservado. Ela tenta usar a caneta para abrir as algemas, mas sem sucesso.]

MARS: [após lavar o rosto na pia] Terminou?

KATE: Ainda não.

[Mars pisa na molinha, e imediatamente a percebe. Ele recolhe a peça do chão.]

MARS: Tá, acabou o tempo. [batendo na porta] Saia daí.

KATE: Um minuto.

MARS: Não. Abra essa porta, imediatamente.

KATE: Eu não terminei.

MARS: Sim, terminou, abra... Austen, eu juro por deus se você não abrir essa porta eu vou entrar aí...

[Kate chuta a porta, que ao abrir atinge Mars. Ela pula pra fora do reservado, o agarrando e batendo a cabeça dele contra a pia. Kate rouba a pistola e retira o paletó em busca das chaves das algemas.]

MULHER: [para a amiga, ao entrar no banheiro] Embora já tivesse visto antes foi algo... Oh, meu deus. [percebendo Mars nocauteado]

KATE: Ele, ele entrou aqui e me atacou... eu o empurrei... eu apenas, eu preciso sair daqui. [Kate sai, escondendo as algemas em baixo do paletó]

MULHER: [saindo do banheiro] Policial! venha rápido, venha rápido.

[Kate corre para o elevador.]

KATE: Espere, segure a porta.

[Sawyer segura o elevador, e Kate entra]

SAWYER: Bem vinda a bordo. Nós estávamos no mesmo voo. Sidney.

KATE: Que tal isso?

[Sawyer percebe as algemas em Kate. O elevador para, e dois agentes da Agência de Segurança do Transporte (TSA) entram.]

TSA RÁDIO: Ganson. Calhoun. Qual sua posição?

AGENTE 1: Estamos no elevador sul, em direção ao piso.

TSA RÁDIO: Levem seus traseiros para as bagagens internacionais, temos um "341".

SAWYER: Parece sério. O que é um "341"?

AGENTE 1: Isso é confidencial, senhor.

SAWYER: Bem, se é confidencial, como saberei se vir um?

[O elevador se abre. Sawyer interrompe os seguranças.]

SAWYER: Perdão, com licença. Damas primeiro. [segurando o elevador para Kate sair.]

KATE: Obrigado.

SAWYER: Se cuida.

---

[Sawyer está cobrindo o túmulo de Juiet com terra.]

MILES: Hei, eu acho que já está bom, chefe.

SAWYER: Pare de me chamar de chefe. Você não é mais meu adjunto.

MILES. Pode deixar. Está com sede? Eu acho que vi algumas cervejas na van. O pessoal da construção as escondia debaixo da...

SAWYER: O que ela queria me dizer, Miles?

MILES: Perdão?

SAWYER: Juliet. Ela disse que queria me contar algo, e então morreu. O que era, Miles?

MILES: Por isso me pediu para ficar aqui com você?

SAWYER: Você é a única pessoa por aqui que fala com os mortos.

MILES: Jim, não é assim que funciona.

SAWYER: O que ela queria me dizer, Miles?

MILES: Hei... não importa.

SAWYER: Importa sim.

MILES: Não vai ajudar.

SAWYER: Apenas faça! Apenas pergunte a ela.

MILES: Ela se foi, James.

[Sawyer joga Miles em cima do túmulo de Juliet.]

SAWYER: Eu sei que ela se foi. Eu sei... agora me diga.

MILES: Ok, ok, ok, tá certo, tá certo.

[Miles se concentra tentando entrar em contato com Juliet, ajoelhado sobre o túmulo - Podemos ouvir sons variados.]

SAWYER: O quê?

MILES: Funcionou.

SAWYER: O que ela queria me dizer?

MILES: Era isso que ela queria te contar: "Funcionou".

SAWYER: O que funcionou?

[Miles não sabe responder. Sawyer se retira chateado.]

[Jack, Kate, Jin e Hurley são levados até a frente do templo.]

HOMEM-OUTRO: Esperem aqui.

[Um homem oriental, e outro de óculos saem para falar com eles]

DOGEN: "Dare da omaetachi?"

LENNON: [traduzindo] Quem são vocês?

CINDY: [se aproximando] Eu sei quem são. Eles estavam no primeiro avião. Oceanic 815, junto comigo.

DOGEN: "Karera wa koko e kurubekidewa nakatta. Kono basyo wo mirukoto wa yurusaren. Ute!" (Eles não deviam ter vindo aqui. Ver esse lugar é imperdoável. Atirem neles!)

LENNON: Tem certeza?

[Dogen se retira.]

LENNON: Atirem.

[Os Outros engatilham as armas.]

JACK: Esperem! Não! Não! [recuando com as mão erguidas junto com Kate e Jin.]

HURLEY: [mãos erguidas] Jacob nos enviou!

DOGEN: "Ima nanto itta!?"

LENNON: O que... o que você disse?

HURLEY: Eu disse, Jacob nos enviou. Ele disse que vocês ajudariam o nosso amigo. [mostrando Sayid]

DOGEN: "Jacob ni atta? Syoumei shiro!"

LENNON: Ele quer que prove.

HURLEY: Uh...

DOGEN: "Uso wo tsuiteiru! Ute!" (Ele deve estar mentindo. Atirem)

HURLEY: Ele me deu aquele estojo de violão. [apontando pro estojo, sendo segurado por um dos Outros]

DOGEN: "Kono naka wo mitanoka?"

LENNON: Você olhou dentro?

HURLEY: Talvez?

[Dogen abre o estojo, revelando um grande Ankh de madeira. Ele o levanta para examinar e então...]

HURLEY: Cara!!!

[Dogen quebra o Ankh, retirando um pedaço de papel de dentro.]

DOGEN: "Karera no na wo kike" (Pergunte o nome deles)

LENNON: Qual o nome de vocês?

HURLEY: Hugo. Hugo Rayes. [para seus amigos] Digam a ele.

JIN: Jin Soo-Kwon.

KATE: Kate Austen.

JACK: Jack Shepard.

DOGEN: "Soshite kare wa?"

LENNON: E ele? [apontando para Sayid]

JACK: Sayid Jarrah.

DOGEN: "Yoshi ikou! Keganin no Jarrah wo hakobe. Izumi ni tsureteiku." (Tudo bem, vamos. Tragam o Jarrah ferido. Vamos levá-lo para a fonte.)

LENNON: Levantem ele. Tragam ele para a fonte.

HURLEY: Hei, com licença, eu carreguei esse estojo através do oceano, e tipo... pelo tempo. Então, quero saber o que aquele papel diz.

LENNON: O papel diz que se o seu amigo morrer, estaremos todos encrencados.


Parte 2: Terceiro Ato

[Sun e Jin estão no balcão da alfândega. Um dos agentes inspeciona o Rolex.]

AGENTE-HOMEM: ...e em que o senhor trabalha?

JIN: Não... inglês [Ele entrega uma carta com o logo da Paik]

AGENTE-HOMEM: A carta diz que o relógio é um presente de empresa. Pode me dizer com o que trabalha?

[Jin aponta para a carta. Insatisfeito, o agente continua a inspeção dos pertences de Jin.]

JIN: [em coreano: "Está tudo em ordem. Podemos, por favor, seguir em frente?"] Reunião! ["Eu tenho um compromisso para ir"]

AGENTE-HOMEM: Se afaste, senhor. [o agente abre uma pequena bolsa contendo uma grande quantidade de dólares americanos] O que está fazendo com isso? Qualquer coisa superior a dez mil dólares tem que ser declarado. Você não declarou.

SUN: ["Por que... você tem todo esse dinheiro?"]

JIN: ["Eu cuido disso."]

AGENTE-HOMEM: Senhor, você terá que me acompanhar, vamos conversar.

JIN: ["Eu não tenho tempo para isso."]

AGENTE: Por aqui... [Jin acompanha o agente, mesmo relutante] Ann, leve-a para a sala de espera.

ANN(AGENTE-MULHER): Srta. Paik, você entende algum inglês? Porque se entende, se isso for apenas um mal entendido, você deveria falar agora. Você me entende?

SUN: Não... inglês.

---

[No templo, Dogen e os outros conduzem os "Losties" até a fonte.]

LENNON: A água não está limpa. O que aconteceu?

DOGEN: "Nani ga okottanoka wakaran" ["Eu não sei o que aconteceu?]

[Dogen vai até a fonte, e corta a palma da mão com uma faca.]

KATE: O que ele está fazendo?

JACK: Eu não sei.

[Dogen mergulha a mão cortada na fonte, e quando a retira percebe que nada aconteceu. A mão ainda está sangrando.]

DOGEN: [apontando pra Sayid] "Kore ha dareni yarareta noda?"

LENNON: Quem fez isso com ele?

JACK: É minha culpa. Eu não atirei nele, mas é minha culpa.

DOGEN: "Dekiru kagiri no koto wa suruga, soreniha kiken ga tomonau." (Eu vou fazer o que puder, mas haverá riscos)

LENNON: Se fizermos isso, haverá riscos... Entende?

JACK: Faça o que tiver que fazer.

DOGEN: "Kono otoko wo izumi no nakae." (Ponham ele na fonte.)

LENNON: [para os Outros] Tirem a sobre-roupa dele. Coloquem ele na fonte.

[Os homens obedecem e levam Sayid para a água. Dogen utiliza uma ampulheta para marcar o tempo. Os outros mergulham Sayid na água avermelhada da fonte.]

JACK: O que eles estão fazendo?

[Lennon o ignora.]

HURLEY: Pessoas inconscientes conseguem prender a respiração?

JACK: Não.

[Sayid começa a ter convulsões, enquanto os outros o mantém submerso.]

JACK: Ele está acordado, o levantem.

JIN: O que eles estão esperando?

KATE: Já chega.

[Dogen observa a ampulheta.]

JACK: [se aproximando de Dogen] Eu disse, levante-o!

[Dogen derruba Jack com um golpe preciso de artes marciais.]

HURLEY: Vocês não estão salvando ele! Estão o afogando!

[Sayid para de se debater, e logo depois a areia da ampulheta termina de cair. Dogen faz o sinal para levantarem Sayid. Os Outros levam Sayid até Dogen, que o examina.]

DOGEN: "Kare wa shinda." (Ele morre)

LENNON: Seu amigo está morto.

[Jack caminha até o corpo de Sayid. Ele confere a pulsação, e então começa a tentar reanimar Sayid.]

KATE: Jack... Jack, pare. O que está fazendo?

[Jack ignora e prossegue com uma respiração boca-a-boca.]

KATE: Jack, ele está morto.

[Jack continua, e Kate agarra o braço dele.]

KATE: Ele não vai voltar, pare com isso!

[Jack desiste.]


Parte 2: Quarto Ato

[No aeroporto, Sayid está esperando por sua bagagem, olhando a fotografia da Nadia. Artz e Sayid trocam olhares suspeitos.]

FUNCIONÁRIA LAX: [no auto-falante] Passageiros desambarcando do voo 2230 vindo da Argentina, peguem suas bagagens na esteira 3.

[Kate está andando, escondendo as algemas embaixo do paletó.]

FUNCIONÁRIA LAX: [no auto-falante] Atenção, todos os passageiros desembarcando do voo 3226 vindo de São Paulo, Brasil. Por favor, prossigam para a saída de bagagens 5.

[Kate presta atenção em uma funcionária que entra em uma área restrita. A funcionária digita um código em um teclado, e abre a porta. Kate memoriza a senha, e a usa para escapar de agentes da TSA, que estão próximos.]

FUNCIONÁRIO LAX: [no auto-falante] Anunciando que para o voo 1415 de Quito, todos os passageiros irão desembarcar no portão norte 85.

[Ela corre por um corredor deserto, chegando em uma escada rolante que leva à saída do LAX. Kate sai do aeroporto e corre até um táxi que está estacionado.]

FROGURT: [irritado com Kate] Woah, woah, woah, nem pensar moça. Tem uma fila. Tem uma fila!

KATE: Desculpa.

[Ela entra na fila do táxi, logo atrás de Hurley.]

HURLEY: [no celular] E os ganhos na Austrália? Laurie teve resposta sobre o negócio do registro... "Outback" é só um nome. Está dizendo que eles são donos de todo o outback? Isso é idiotice. Faça-os cuidar disso.

[Kate vê Mars conversando com policiais.]

MARS: ...Ela vai sair da alfândega. Eu quero vocês cuidando da outra porta.

HURLEY: [no celular] Eu ainda não recebi o inventário de Tustin.

MARS: Eu quero vocês naquela porta. Peguem ela.

[Kate olha ao redor, disfarçando, mas Mars a avista. Ela corre.]

MARS: Hei!

[Kate entra em um táxi.]

KATE: [para o taxista] Vai... vai agora!

TAXISTA: Moça, eu já tenho uma passageira.

[Kate aponta a pistola pra cabeça do motorista.]

KATE: Eu disse "vai"!

[A imagem revela a outra passageira...]

CLAIRE: O que você está fazendo?

KATE: [para o taxista] Vai agora!

[O motorista acelera. Mars tenta alcançar o táxi, mas Kate consegue fugir.]

MARS: Hei! Pare o táxi!

---

[No templo, Kate, Jack, Jin e Hurley estão sentados perto da fonte, olhando o corpo de Sayid.]

CINDY: [se aproximando] Pensei que vocês gostariam de algo para comer ou beber. Zack, Emma, levem o resto para o pessoal ali.

[Zack e Emma ajudam Cindy com a comida.]

HOMEM-OUTRO: Apenas larguem eles aí.

[Alguns outros trazem Sawyer inconsciente, Miles também é trazido, coagido pelos homens armados.]

KATE: Hei, o que houve?

MILES: Eles nos atacaram na selva. Ele derrubou quatro, antes de um deles o acertar com uma maldita pedra.

[Kate ajuda Sawyer. Lennon reaparece.]

LENNON: [falando om Hurley] Você vem comigo.

HURLEY: Ir com você onde?

[Eles entram em uma outra sala, onde Dogen cuida de algumas plantas.]

DOGEN: "Kare ni kiitekure, Jacob wa seikaku ni nanto itta noka." (Pergunte a ele o que exatamente Jacob disse. que instruções ele recebeu.)

LENNON: Ele quer saber o que Jacob lhe disse.

HURLEY: Ele me disse para vir aqui. Disse que vocês salvariam o Sayid.

DOGEN: "Kare wa sudeni teokure datta." (Era muito tarde para ele.)

LENNON: Ele não podia ser salvo.

HURLEY: Espera um segundo... você não está traduzindo nada do que eu disse. O que significa que você me entende totalmente, cara.

DOGEN: [em inglês claro] Eu não gosto do sabor do inglês na minha língua. [de novo, em japonês] "De, Jacob wa itsu kurunda?"

LENNON: Quando Jacob vai chegar aqui?

HURLEY: Como assim?

LENNON: Ele está vindo para o templo?

HURLEY: Eu realmente não acho que isso vai acontecer, cara.

LENNON: Por que não?

HURLEY: Você sabe... porque ele está morto.

[Dogen parece surpreso.]

HURLEY: O quê... vocês não sabiam?

[Jack ouve um sino sendo tocado. Os outros se agitam.]

LENNON: Todos para seus postos! No muro, prepare as cinzas!

[Um dos outros carrega um foguete sinalizador, enquanto outra pessoa espalha cinzas ao redor do templo.]

DOGEN: "Higashi no kabe ni shubi wo katamero!" (Defesa no muro leste!) "Juu nin ha kita ni maware!" ("Dez homens no lado norte!")

LENNON: Dez homens no lado norte!

DOGEN: Juubun chui shiro! ["Muito cuidado!"]

LENNON: Envie o sinal!

DOGEN: Mina ni konokoto wo tsutaerunda, yoshi tenka!

LENNON: Acenda!

[O pavio do sinalizador é acendido. O foguete sobe explodindo em luzes vermelhas.]

HURLEY: Acho que não vamos sair daqui, hun?

LENNON: Isso não é para mantê-los aqui. É para manter ele fora.

HURLEY: Ele? Quem?

[Na estátua, "Locke" está arrumando os corpos dos companheiros de Bram. Ben está sentado o encarando.]

BEN: O que é você?

"LOCKE": O que... eu não sou um "que", Ben. Eu sou um "quem".

BEN: Você é o monstro.

"LOCKE": Não vamos recorrer a nomes feios.

["Locke" retira uma pedra do peito de Bram, e o arrasta para perto dos outros corpos.]

BEN: Você me usou... Você não podia matá-lo sozinho, então me usou.

"LOCKE": Eu não te fiz fazer nada. Você deveria saber, ele estava muito confuso quando você o matou.

BEN: Eu sinceramente duvido que Jacob estivesse confuso.

"LOCKE": Não estou falando de Jacob. Estou falando de John Locke. Quer saber o que ele estava pensando, enquanto você tirava a vida dele, Benjamin? Qual o último pensamento a passar pela cabeça dele? "Eu não entendo". Não é a coisa mais triste que você já ouviu? Mas até que faz sentido. Porque quando John veio pela primeira vez para a ilha, ele era um homem muito triste. Uma vítima, gritando para o mundo por ser avisado do que não podia fazer, mesmo eles estando certos. Ele era fraco, e patético, e com feridas irreparáveis. Mas, apesar de tudo isso, havia algo de admirável nele. Ele foi o único deles que não queria partir. O único que percebeu o quão insignificante era vida que ele deixara para trás.

BEN: O você quer?

LOCKE: Bem, essa é a grande ironia aqui, Ben. Porque eu quero a única coisa que John Locke não queria. Eu quero ir pra casa.

Parte 2: Quinto Ato

[Hurley se abaixa para falar com Sayid.]

HURLEY: Adeus, cara. Se você quiser conversar, estarei por aqui.

[Hurley olha para Miles, que parece confuso.]

HURLEY: O quê?

MILES: Nada.

[Kate está cuidando de Sawyer do outro lado da fonte.]

KATE: Hei?

SAWYER: [acordando] Onde estamos?

KATE: Estamos no templo.

SAWYER: Fomos pegos pelos Outros novamente?

KATE: Sim, mas dessa vez, estão nos protegendo. Eu acho.

SAWYER: Claro que estão.

[Sawyer se senta.]

KATE: Você está bem? [Sawyer sente um dor na cabeça] Me desculpa. [Sawyer vê Jack] Sabe o que você disse lá na escotilha... ele só está tentando nos ajudar.

SAWYER: Eu não vou matar o Jack. Ele merece sofrer nesse lugar, como o resto de nós.

[Jack chora, abalado com tudo que aconteceu.]

---

[Flash-Sideway]

[Jack está no setor de achados e perdidos da Oceanic, falando ao telefone celular. Ele parece muito aborrecido.]

JACK: É... eu sei... você acha que eu sabia que isso ia acontecer? Eu marquei cedo porque queria terminar logo com isso. Eu não sei, mãe. Ele não está aqui, então não posso te dizer o que dizer a eles, fora que não podemos fazer o funeral sem ele. Sim... eu vou te ligar se ouvir alguma coisa. [Jack desliga]

LOCKE: [na cadeira de rodas] O que você perdeu?

JACK: Perdão?

LOCKE: Bem, eles perderam uma das minhas bagagem, e você?

JACK: Você não acreditaria se eu lhe contasse.

LOCKE: Tente.

JACK: Eles perderam o meu pai.

LOCKE: [confuso] Desculpa?

JACK: Ele morreu na Austrália, uns dois dias atrás, e eu voei até lá para buscá-lo.

LOCKE: Minhas condolências. [Locke termina de preencher um formulário, e chama um funcionário da Oceanic] Yo!

JACK: O caixão deveria subir no avião em Sidney, mas não subiu. Aparentemente, ele está transitando em algum lugar, que é a maneira deles dizerem que não fazem idéia de onde diabos ele esteja.

LOCKE: Bem, como poderiam saber?

JACK: Foram eles que o despacharam. Quero dizer, eles devem ter algum tipo de sistema de rastreamento.

LOCKE: Não. Eu não falo do caixão. Quero dizer, como eles poderiam saber onde ele está. Eles não perderam o seu pai. Eles apenas perderam o corpo dele.

[Jack parece entender o que Locke quis dizer. Lock sorri.]

LOCKE: De qualquer forma, sua história dá uma tremenda surra na minha. Tudo que tinha na minha mala era um monte de facas. [funcionário da Oceanic entrega um recibo] Obrigado.

JACK: Algum tipo de vendedor?

LOCKE: É, algo assim. Bem, foi bom falar com você, espero que ache aquele caixão.

JACK: Espero que ache suas facas.

LOCKE: É, obrigado. [Locke dirige a cadeira de rodas para a saída]

JACK: Posso perguntar o que aconteceu com você? [Locke não entende] Desculpa, só estou perguntando porque eu sou um cirurgião de coluna. Não quis...

LOCKE: Oh, não, não se preocupe com isso. Uhn... cirurgia não vai me ajudar. Minha condição é irreversível.

JACK: Nada é irreversível. [Jack e Locke trocam um olhar significativo] Umm, se você quiser uma consulta, apenas me ligue. [Jack entrega um cartão] É por conta da casa.

LOCKE: Bem, obrigado [pegando o cartão e lendo o nome] Jack Shepard, eu sou John Locke [Locke estende a mão para Jack]

JACK: Foi bom te conhecer, John. [Jack o cumprimenta]

LOCKE: Bom te conhecer, também.

[Jack abre a porta para Locke sair.]

LOCKE: Obrigado.

JACK: De nada.

---

[O sinalizador disparado do templo explode no céu. Na praia, Richard e o grupo com ele presencia as luzes vermelhas.]

LAPIDUS: Que diabos foi isso?

[Richard parece preocupado.]

[Rifles são engatilhados e apontados para Locke, no momento em que o grupo o vê saindo do pé da estátua com Ben. Ilana, também, engatilha a sua arma.]

RICHARD: Não atire nele! Não atire nele!

LAPIDUS: Estou vendo, mas ainda não acredito.

[Locke se aproxima de Richard]

"LOCKE": Olá, Richard. É bom te ver livre daquelas correntes.

RICHARD: [olhos arregalados] Você?

"LOCKE": Eu.

[Locke atinge Richard na garganta, e o derruba inconsciente com uma joelhada.]

"LOCKE": [apontando para o grupo na praia] Estou muito desapontado... com todos vocês.

[O inimigo coloca Richard nos ombros, e anda para fora da praia, passando pelo corpo do verdadeiro Locke.]

[No templo, Lennon e outros dois homens se aproximam de Jack, que ainda vigia o corpo de Sayid.]

LENNON: Você, Shepard?

JACK: Sim.

LENNON: Precisamos falar com você em particular.

JACK: Se você tem algo para me falar, então diga. Do contrário, me deixe em paz.

LENNON: Eu não acho que você está me entendendo. Estou pedindo educadamente. Ou você se levanta e vem conosco por conta própria, ou te levo arrastado. Porque teremos essa conversa, e não vai ser aqui.

[Jack se levanta e encara Lennon.]

JACK: É assim?

[Lennon sinaliza para os homens, que investem contra Jack. Jack resiste levando a briga para o chão. Hurley e Lennon percebem algo acontecendo.]

HURLEY: Jack!

[Todos olham para o outro lado da fonte. Sayid lentamente se levanta, de volta a vida.]

LENNON: Oh meu deus.

JACK: O que...

SAYID: [confuso] O que aconteceu?


LOST

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória