Fandom

LOSTpédia

Diário ABC/Traduzido

< Diário ABC

3 425 páginas
nesta wiki
Adicione uma página
Falar0 Compartilhar

As primeiras entradas do diário foram escritas pela sobrevivente do vôo 815 Janelle Granger, e catalogadas no site ABC.com. Na segunda temporada as entradas são escritas por outro sobrevivente chamado Chris Dobson.

Janelle Granger

# Texto
1 Primeiro dia - Não consigo controlar o tremor nas mãos - o avião caiu! Aquilo tudo sobre passar um filme da sua vida - MENTIRA!. Não sei o que aconteceu. Me lembro do vácuo na janela e do barulho- barulho ensurdecedor. Cabeça continua zunindo. Não acredito em Deus, mas rezei. Incrivelmente continuo inteira - alguns arranhões e escoriações. Achei esse caderno e resolvi escrever - não sei o que fazer. Onde estamos? Só montanhas e água - por todos lados...

Primeira Noite - Ficando escuro agora – nunca vi tantas estrelas. Fogueiras dispersas na praia – a nossa é a maior. Um cheiro ruim – corpos queimados? Meu estômago não está bem – Não consigo comer a comida de avião que o cara gordo distribuiu. Onde está a guarda costeira? Por que eles ainda não chegaram aqui? Tentei meu celular – sem sinal. Meus pais devem estar preocupados. Tenho que parar de escrever. Estou cansada.

2 Segundo Dia - Um homem gentil de camisa xadrez me ofereceu uma laranja como café da manhã - Ainda não consigo comer. Todos nós estamos falando sobre o que era aquele barulho na última noite. Alguns saíram pra procurar a cabine – eu não. Alguma coisa me assusta lá fora.

A tinta da caneta está acabando. Sorte típica. Mais tarde escrevo mais...

Segundo Dia - Cont. - Peguei emprestada uma caneta com uma moça grávida. Me abriguei sob uns destroços quando começou um temporal – Ainda estou encharcada. Secando no sol agora. Andei pela praia e vi umas boas ondas. Uma grande briga na praia quando retornei. Os ânimos começaram a se inflamar. Finalmente comi alguma coisa – frutos do mar - SUSHI! Ainda estou faminta. Um transmissor foi encontrado, mas não está funcionando. Alguns foram à um lugar elevado buscar sinal no rádio. Detesto o Larry e as cantadas baratas dele. Nenhum sobrevivente na cabine. Eles provavelmente acham que estamos mortos também.

3 Segunda Noite - Joguei gamão com Walt – boa criança. O tédio bateu e estou oficialmente entediada. Sempre piora quando o sol se põe.

Terceiro Dia - Tem um médico na ilha. Ele está com um cara que está muito mal – tem um pedaço do avião enfiado nele. Fui ver se o doutor tinha algum bloqueador solar - sem sorte. Pelo estado do cara ferido, acho que as coisas poderiam ser piores.

Terceira Noite - Achei minha mala hoje!!! Todas as roupas, nenhum utensílio de higiene. Então, agora eu tenho uma roupa de banho – ainda sem sinal da minha prancha de surf. Sempre fantasiei em estar presa numa ilha e isso não é tão ruim... a pior parte é a fome, e é claro olhar algumas ondas perfeitas e não ter minha prancha. Estou pensando em minha família e amigos esta noite. Sinto falta deles...

4 Dia Quatro - Nenhum sinal, o que significa nenhum chamado por socorro. Eles pediram equipamentos eletrônicos para ajudar, então dei meu celular pra eles – Não tem mais uso pra mim. Estamos racionando a comida e usando potes para colher água da chuva – devemos estar bem abastecidos, pois choveu muito de novo hoje – veio do nada, apenas desabou. Improvisei um abrigo próximo a uma árvore. É uma casa... ao menos agora.

Noite Quatro - O cara ferido está nos enlouquecendo com seus gritos – pobre sujeito. Por que ninguém vem nos resgatar? Não vi avião algum passar. Não faz sentido.

Dia Cinco - Escutei um barulho de tiro na noite passada. Quem diabos tem uma arma!? Walt encontrou o cachorro dele hoje – Eu perdi meu cachorro. Tirei um cochilo na areia – me senti bem exceto pelas pontadas de fome no meu estômago. Parei de fumar ano passado, mas quem se importa agora? Arrumei um de um cara chamado Sawyer. A nicotina satisfaz a fome.

5 Noite Cinco - O cachorro me acordou e agora eu não consigo dormir. Alguma movimentação na fuselagem, mas eu estou cansada demais pra ver o que é. Dormindo na areia fria, no sereno e espantando insetos. Se ao menos aquele cachorro parasse de latir...

Dia Seis - Pediram pra nós ajuntarmos lenha. Javalis entraram na fuselagem na noite passada e nós teremos que queimar os corpos que estão lá dentro. Claire, a mulher grávida que me emprestou a caneta vai fazer uma espécie de memorial. Teve outra briga hoje – parece que foi Sawyer, com o “cara gordo”, por amendoins – literalmente!! Eu tenho uns suprimentos extras e não estou dividindo. Isso é egoísmo? O “cara de camisa xadrez” vai caçar javalis – nunca comi carne de javali, mas estou faminta o suficiente pra provar quase qualquer coisa.

6 Dia Seis (cont) - Pus minha roupa e dei uma caminhada pela praia pra dar um mergulho.O cara gordo estava lá com um amigo tentando pescar – foi uma comédia – primeira vez que eu ri desde que caímos! Estou de volta a praia agora, tentando transformar um brinco em anzol. Se eu achar algo pra usar como linha eu entro no negócio...

Noite Seis - Nós lemos os nomes dos mortos hoje a noite – alguns deles estavam sentados perto de mim. Surreal – parece um sonho. Não consigo acreditar que isto esteja acontecendo e não consigo entender por que o resgate não chega. O sinal de fogo tem queimado por dias...

7 Dia Sete - Joanna se afogou hoje. Eu mergulhei com ela na Austrália e ela acabou pegando o mesmo vôo que eu. Ela trocou de acento e pudemos sentar juntas pra conversar sobre a viagem. Ela estava viajando pela costa, mergulhando na Grande Barreira de Recifes. Ela era muito esperta – Ela sabia reconhecer correntezas e nadar paralela a praia.

... Pra piorar, alguém roubou todo estoque remanescente de água. Eu sei que há uma maneira de transformar água salgada em água doce, eu só não lembro como. Eu pedi ao Sawyer mais cigarros e ele ainda não me deu. De volta ao adorável vício.

Noite Sete - Encontraram o cara que roubou a água, mas ainda não é suficiente. O médico disse que achou uma nova fonte na ilha. Eu vou encher algumas garrafas, mas vou ficar por aqui mesmo na praia pro caso de algum avião passar. Encontrei um cara chamado Charlie na noite passada – que era de uma banda chamada Drive Shaft – eu tenho um CD deles. Ele tem uma tatuagem que diz “Viver é fácil com os olhos fechados”. Obviamente um fan dos Beatles. Depois dessa experiência meus olhos estão bem abertos?

8 Dia Oito - Lembrei de algo – eu tenho uma conta de 6000 no cartão de crédito. Com sorte vão me procurar por causa dessa dívida. Eu pago até em dobro se me tirarem dessa ilha. As coisas estão começando a ficar estranhas. Teve uma grande briga hoje entre Michael e o cara coreano. Se Sayid e Sawyer não tivessem puxado ele acho que ele teria afogado Michael. Que louco – eu sinto pela esposa dele, ela parece muito simpática. Nós temos que sair dessa ilha.

Noite Oito - Houve um grande debate sobre onde fixar o acampamento. Hurley me disse que ele, Charlie, Locke e alguns outros estão se mudando pra próximo da fonte de água. Jack disse que tem abrigo por lá. Eu não ligo se tem um hotel quatro estrelas lá, eu não fico naquela floresta! Quantas vezes tenho que dizer praqueles caras que quando o avião de resgate passar por nós, eu não quero perder a chance de acenar pra eles. Eu estou com meu espelho sempre a postos. Kate também não vai. Eu acredito nela.

9 Dia Nove - Não me sinto bem... Tenho sentido náuseas por dois dias. Eu vi Jack hoje, quando ele estava pegando suprimentos pro novo abrigo – ele me disse pra tentar ficar longe do sol. O que ele quer que eu faça, me mude pra Seattle? Eu ia me mudar pra enfermaria, mas Sawyer pegou ela primeiro. Aquele cara está me dando nos nervos – Ele não vai mais me dar cigarros. Não de graça. Porco!

Acho que Sayid está tramando algo. Eu vi ele falando com Kate e Boone e ele estava segurando uma antena com umas coisas eletrônicas nela. Então ele e Kate entraram na floresta. Estranho.

Dia Nove (Cont.) - Jack está morto! Charlie veio correndo para a praia todo sujo. Ele disse que houve um desmoronamento no novo abrigo e que Jack foi enterrado vivo. Michael e alguns outros foram ver se podem ajudar, mas parece que é tarde. Onde está Kate – será que ela já sabe? O que nós vamos fazer? E se alguém mais se machucar? Oh, meu Deus, o que Claire vai fazer?

10 Dia Dez - Eu fui até as cavernas ontem pra saber do Jack – que loucura. Scott me disse que um pouco antes Michael cavou um túnel até onde Jack estava. Charlie entrou nele pra ajudá-lo e acabou ficando preso também depois de outro desmoronamento! As pessoas estavam ficando desesperadas, principalmente Kate, tentando tirá-los de lá cavando, mas não havia mais chance – eram muitas rochas e sujeira. Então quando tínhamos desistido eles vieram andando pela selva... VIVOS! Foi inacreditável. Eu fiquei tão surpresa quanto aliviado por vê-los. Quero dizer, só conheço essas pessoas há dez dias e quando vieram andando em minha direção eu quase chorei de alívio. Isso me fez pensar que todos temos uma real chance de vencer esse desafio juntos. Talvez...
11 Dia Dez Cont. - Sawyer foi esfaqueado!!! Não sei quem fez isso, mas acho que foi Jack. Eu os vi entrando na antiga enfermaria – se Kate não chegasse no último minuto eles poderiam ter se matado. Não achei tão mal, na verdade, adoraria ver alguém mandando o Sawyer pro inferno, a atitude dele é realmente enervante. Quero dizer, quem ele pensa que é?

Larry me cantou de novo hoje. Na verdade ele disse que gostaria de me chamar “pra sair”. Hum, fora daqui literalmente? Quero dizer, o que ele vai fazer? Me levar pra patinar? Honestamente não há chance de eu sair com ele – Eu esperava que ele percebesse, mas é obvio que ele não consegue entender.

12 Dia 13 - Eu acho que vi uma baleia esta manhã. Não consegui dormir de novo, então saí pra nadar – a água estava tão espelhada que parecia que você poderia correr milhas sobre ela se fosse rápido o suficiente. Eu realmente gosto do tempo que tenho pra mim mesma, antes de todo mundo acordar – muita paz e calma. Então eu estava lá flutuando no oceano quando ouvi um barulho como um vapor muito forte atrás de mim. Eu virei e vi essa forma enorme vindo pra superfície. Morri de medo na verdade, mas foi muito legal.

Dia 14 - Boone veio cedo pra praia pra dizer que Jack, Charlie e outros estavam jogando golf. Eu achei que ele tinha pego muito sol (ele me parece um pouco frágil), mas eu não tinha nada melhor pra fazer, então segui a multidão que ele levou pela selva. E lá estavam eles: Michael, Charlie e Jack no meio do que Hurley chamou de “Aberto da Ilha”. Eu não sei como ele fez isso, mas Hurley construiu 2 buracos de golf! Era inacreditável, as pessoas estavam realmente gargalhando.

13 Dia 14 (cont.) - Eu tinha esquecido como uma gargalhada soava. Todo mundo realmente entrou nessa, até apostando no jogo – Eu ganhei um pedaço extra de carne de javali do Larry quando Jack venceu uma – que otário!! O pessoal está fazendo fila pra jogar amanhã. Eu nunca fui boa jogando, mas acho que agora tenho tempo pra praticar...

Dia 15 - Depois de nossa partida de golf de ontem, eu decidi dar um tempo nas cavernas e curtir minha fração extra de comida de avião. Nós ficamos felizes sentados em volta da fogueira. Sawyer espalhou mesmo um par dos frascos de bebidas e cigarros do avião. Larry está atrás do fogo e olha fixamente pra nós. O garoto rasteja realmente para mim. Assim quando todos dirigirem-se mais para trás à praia, eu decidi acampar para fora nas cavernas. Foi consideravelmente confortável até que Claire acordou gritando. Eu suponho que tenha sido algum pesadelo. Minha irmã teve os sonhos os mais loucos quando estava grávida. Em todo o caso, após aquilo, eu não poderia ir para a praia para dormir, assim que eu trouxe minhas coisas para a praia, encontrei Sawyer conversando com essa "sardenta" Kate. Eu voltei com ele quando eu tive a possibilidade.

14 Noite 16 - Hurley está anotando nomes e informações de nós por que alguém atacou a Claire – a aparentemente dessa vez não foi um pesadelo. Não sei qual o benefício dessa lista, mas ao menos nos sentiremos mais seguros – Há! É assustador pensar, mas nós realmente não sabemos com quem estamos presos aqui na ilha. Alguém poderia ser um pedófilo ou um drogado. Pelo que eu sei, Larry poderia ser um estrupador – se o nome dele for realmente Larry. Devo ser um pouco mais cuidadosa?

Dia 17 - Meu Deus, nós estivemos aqui nesta ilha por cerca de duas semanas, dormindo próximo a pessoas capazes de qualquer coisa! E eu nunca mais darei as costas ao Larry de novo. As pessoas nem sempre são o que parecem, se alguém sabe sobre isso agora sou eu. Eu pensei que depois de sobreviver ao acidente não poderia acontecer mais nada pior por aqui. Tenho certeza que a maioria de nós pensava assim. Estávamos errados?

Não estava preparada para o que aconteceu esta manhã. Fui até as cavernas pra ver o que se passava, e antes de eu perguntar o que estava acontecendo, eu vi Sayid no...

15 Dia 17 (cont.) chão – ele não parecia bem na verdade, mas não era nada comparado com o que estava acontecendo na floresta com a Claire (a moça grávida) e Charlie – eles foram seqüestrados! Todo mundo está acusando esse cara assustador chamado Ethan, mas ninguém sabe realmente o que esta acontecendo. Eu passei boa parte do meu dia procurando por eles com o Michael e alguns outros mas não tivemos nenhuma sorte. Eu sabia que havia algo de errado com este grupo e agora estou preocupada com o que um Psicótico está fazenda com a Claire. Deus, parece que o pesadelo está começando de novo. Eu disse pra mim mesma todo dia no hospital que tudo que eu tinha que fazer era continuar viva. Apenas sobreviver e tornar isso experiência – era pra isso que essa viagem deveria servir!

Eu vou dizer uma coisa: eu não vou ser uma vítima. De novo? De maneira nenhuma! Aqui ou lá fora eu vou cuidar de mim mesma. Se qualquer um tentar fazer algo eu vou estar pronta pra ele.

16 Dia 22 - Há alguma coisa seriamente errada com esta ilha. Fui acordada de manhã pelo barulho das ondas quebrando na praia – enormes, pelo menos 10 pés. Já passei anos suficientes na água pra saber como as marés funcionam e nunca vi a maré ir tão longe, tão rápido. Talvez tenha alguma coisa a ver com estar próximo ao equador, mas é como se alguém virasse um interruptor e ligasse as ondas. A linha da água estava crescendo rápido – muito rápido! Os abrigos que nós fizemos estavam sendo levados e todo mundo entrou em pânico pra salvar o que fosse possível enquanto não era tarde demais. Eu corri pra salvar minha bolsa de mergulho (pode imaginar se ela fosse levada pra algum lugar e alguém abrisse???) e vi que Larry tinha pego! Eu olhei pra cara dele e falei pra ele devolver imediatamente. Ele contou uma história de como ele estava só tentando ajudar pra eu não perder nada – ele acha que eu nasci ontem?
17 Dia 22 (Cont.) - Eu nunca achei que fosse possível, mas a fuselagem do avião está sendo levada da praia! É como se o mar estivesse levando o que lhe pertence. Eu nunca pensei que fosse sentir falta daquele horrível emaranhado de metal retorcido, mas perdê-lo me fez sentir como se tivesse dado adeus ao mundo real. Talvez para sempre. Nós estamos nos mudando para cima na praia e fora do alcance das ondas (ao menos por enquanto). Todo mundo parece estar confortável ali, menos eu. Algo ruim está para acontecer. Eu posso sentir isso. Então decidi parar de negar isso... e ficar preparada. Cada manhã eu estou nadando um pouco mais longe e a tarde eu corro até a colina do campo de golfe. Ficando mais forte – todo dia. E quando tenho vontade de parar tudo que tenho a fazer é lembrar as conseqüências de não estar preparada. Estou comendo o melhor que posso, buscando qualquer coisa como comida extra. Preciso de proteínas. Precisa continuar a me fortalecer.
18 Dia 23 - Me sinto terrível hoje. Preciso comer mais – as frutas e a pequena quantidade de peixe que consigo não são suficientes. O que aconteceu com os Javalis? Eu só comecei a treinar de novo há alguns dias, mas já estou exausta. Nadar ainda é fácil pra mim, mas minhas pernas queimam como fogo toda vez que subo aquela colina. Eu tenho que parar e deitar um pouco no topo por que estou cansada demais pra descer. Ontem eu dormi no topo da colina e quando acordei já estava escuro. Eu estava lá, olhando as estrelas, me sentindo segura pela primeira vez em muito tempo quando algo estranho aconteceu. Eu posso jurar que ouvi uns sussurros em volta de mim. Eu não tinha minha bolsa de mergulho comigo, então me senti mais vulnerável. Mas deixa eu te contar, a dor nas minhas pernas sumiram em um segundo e eu estava pronta pra lutar. Mas não tinha ninguém lá. Eu não gostei desse sentimento e voltei pra praia em uns 5 minutos! Não posso baixar minha guarda dessa maneira. Nunca. Não aqui.
19 Dia 24 - Estava correndo de novo hoje quando encontrei Locke e Boone na floresta. Eles estavam com o Walt, ensinando a jogar faca numa árvore. Que loucura é essa? Quem deixa um menino de 10 anos brincar com facas? Esses caras não deveriam estar caçando? Isso é alguma espécie de treino de tiro ao alvo?

Quando voltei pra praia Sawyer me disse que Michael resolveu fazer uma jangada. Ele não viu “O Náufrago”? Pode ser impressão, mas as ondas quebrando nos recifes cresceram mais de 10 pés desde que chegamos. Me ofereci pra procurar um lugar melhor para partir enquanto estou correndo. Talvez pelo lado das falésias. A verdade é que não temos a menor idéia do tamanho dessa ilha.

20 Dia 25 - Claire voltou! Estremecida, mas viva. E para o alívio de todos, Jack disse que o bebê parece bem, mas o estranho é que ela não lembra de nada que aconteceu. Nem uma lembrança dos últimos oito dias! E ela não se lembra de nenhum de nós – nem do Charlie. Todo o acampamento está começando a perceber o perigo que nos ronda. Nós colocamos guardas em torno do perímetro a noite, mas eu não estou confiando em ninguém pra me proteger. Tenho passado a noite ao lado da maior fogueira que eu possa achar com minha bolsa de mergulho do meu lado.

Dia 26 - Corri pela praia essa manhã, procurando lugares em potencial para a jangada partir, então minha atenção era a maré, e não as árvores. Sabe aquela sensação de ter alguém atrás de você? Bem, eu tive essa sensação. Mas quando virei, não havia ninguém lá. Eu aumentei o ritmo e fiquei mais próxima da água. Alguns metros a frente eu senti de novo e me virei de imediato, e dessa vez, eu juro, vi alguém a distancia. Eu me movi em direção a ela e ela desapareceu na névoa. Estranho. Alguém ou alguma coisa estava me seguindo. Eu sei disso. Mas não foi o pior. Quando voltei,

21 Dia 26 (Cont) - pra ver a área, eu tropecei em alguma coisa e caí na areia... e foi quando eu o vi – Scott, do acampamento, estava deitado na areia torcido e ensangüentado. Isso não foi acidente – todos os principais ossos do cara estavam quebrados.

Poderia ter sido eu! Nós temos que sair dessa ilha...

22 Dia 27 - Charlie atirou no Ethan! Um grupo de pessoas foi pra floresta armadas – de onde esses caras vieram?!? – e, usando Claire como isca, trouxeram Ethan até eles. Aparentemente todos concordaram em capturá-lo e mantê-lo vivo, mas Charlie tinha outros planos. Ele atirou sem perguntar nada. Algumas pessoas estão furiosas e com medo do Charlie, mas eu sou a última a julgar sobre algo assim. Quero dizer, Ethan seqüestrou Claire, amarrou ele pelo pescoço e o deixou pra morrer. O que você esperaria que ele fizesse? Eu aposto que Ethan matou Scott também. Que louco!! Talvez agora nós poderemos descansar um pouco mais fácil.

A boa notícia é que os javalis voltaram! Na verdade, um atacou a tenda do Sawyer na noite passada – bem feito. Esse cara é um idiota. Não sei por que Kate passa tanto tempo com ele. De qualquer forma agora nós vamos finalmente comer alguma carne – eu estou enjoada de peixe e fruta...

23 Dia 30 - Aquele cara coreano começou a gritar com a esposa dele de novo – só por que ela vestiu um biquíni. Que idiota! Está uns 1000 graus aqui. Michael viu o que aconteceu e brigou com ele – esses dois realmente se odeiam. Nesse ritmo, nós devemos saber que os ânimos vão esquentar...

Dia 31 - Alguém pôs fogo na jangada ontem à noite, criando uma imensa fogueira. Todo o trabalho foi perdido! As pessoas estão acusando o cara coreano, que fugiu para a floresta. Mas eu vi o garotinho, Walt, brincando com fósforo ontem.

1. O que aquele garoto estava fazendo com o fósforo? Elas são um produto valioso nessa ilha. E 2. Por que alguém queimaria nossa única esperança de sair desse lugar esquecido por Deus?

24 Dia 32 - As surpresas continuam aparecendo! Sawyer encontrou o coreano na floresta e trouxe ele de volta ao acampamento pra encarar a multidão. Levou três segundos pro Michael pular em cima dele e, acho que dessa vez, ele o quebraria de vez se a esposa dele não tivesse gritado para ele parar – EM INGLÊS! Por que ela não falou antes?! Eu me pergunto se ela me ouviu falando besteira sobre o marido dela. Será que ela liga? Finalmente descobri que o nome dele é Jin.

Dia 33 - Fui nadar essa manhã – sempre me deixa com muita fome. Ainda sem carne. O que aconteceu com aquele javali que atacou a tenda do Sawyer na outra noite? Eu realmente não sei o que Locke e Boone estão fazendo lá fora o dia todo, mas eu acho que vou segui-los e descobrir por mim mesma...

25 Dia 34 - Eu sabia! Eu sabia que eles não estavam indo caçar javalis...

Esta manhã eu acordei e fui pra praia nadar como sempre – só que dessa vez eu não fui pra água. Eu fiz o caminha da praia e depois corri de volta pra um arbusto e e escondi pra vigiar o acampamento. Um pouco antes do sol aparecer Locke e Boone saíram para caçar... e eu os segui.

Eles andaram bastante, por cerca de uma hora em partes da ilha que eu ainda não havia explorado. E quando eu já estava achando que eles estavam procurando comida eles chegaram ao seu destino.

Eu não sei o que dizer exceto que era uma enorme... “coisa” de metal e rodeada pelo que parecia concreto. Eu não podia chegar perto o suficiente para dizer o que aquilo era, mas uma coisa é definitivamente clara. O que quer que seja isso – é construído por alguém – e Locke e Boone estão mantendo em segredo. Eu não sei o que eles fariam se soubessem que eu segui eles, mas eu vou ficar certa que eles não saberão.

26 Dia 34 (cont.)- E eu não vou mais a lugar algum sem minha bolsa de mergulho – nunca!

O que está acontecendo aqui e por que todo mundo está fazendo segredo. Tudo o que eu quero é sair dessa droga de ilha e se aquela coisa na floresta pode ajudar, Locke e Boone não têm o direito de manter isso pra eles! Quem eles pensam que são? Deus, estou tão confusa! Eu só quero ir pra casa...

Dia 36 - Eu acho que eles encontraram alguma coisa lá fora. Ontem, quando eu estava seguindo eles, Locke e Boone pareciam estar discutindo – provavelmente sobre o que fazer com aquela coisa na selva. E hoje eu ouvi que Boone sofreu uma espécie de acidente. É, eu sei o quanto “acidentes” podem ser perigosos. E alguém que vive em Lousiana também sabe. Ou costumava saber...

Eu queria ver por mim mesma, e então corri para as cavernas o mais rápido que pude, mas a situação por lá estava um caos total. Hurley me disse que Jack precisava de um lugar pra trabalhar e ninguém amontoado.

27 Dia 36 (cont.) Mesmo assim, eu consegui dar uma boa olhada no abrigo improvisado do Jack pra ver Boone – E com certeza não estava legal. E no meio disso tudo eu ouvi Charlie dizer que Claire estava tendo o bebê neste momento! Eu não sabia o que fazer, então corri de volta para a praia e encontrei um lugar calmo pra escrever isso. Eu abri minha bolsa de mergulho e chequei se meu kit estava pronto. Algo no aço frio em minha mão me faz sentir melhor.

Não estou certa mas as pessoas estão dizendo que Boone pode morrer hoje a noite. E veja só... ninguém sabe onde Locke está. Mas eu tenho uma idéia, e acho que vou encontrar onde ele está.

Dia 38 - Onde nós estamos?

Duas noites atrás, depois de toda situação com o Boone, eu peguei meu kit da bolsa de mergulho, amarrei no meu cinto e saí pra tentar encontrar Locke. Eu já imaginava que ele deveria estar naquela coisa na selva, e estava certa, quando o sol estava se pondo eu cheguei e lá estava ele! É uma escotilha. Eu sei que parece loucura (por que as pessoas sempre

28 Dia 38 (cont.) - acham que sou louca?), mas é o que aquilo é. Uma escotilha no meio de uma floresta numa ilha deserta! Locke estava ajoelhado no topo dela e sua camisa estava coberta de sangue, mas não acho que era dele, pois tinha muito – ele estaria morto agora se fosse dele. Mas ele não parecia bem. Ele estava ajoelhado, socando e olhando para o que parecia uma janela. Então uma luz apareceu... de dentro da janela da escotilha! Eu engasguei – não consegui me conter – e acho que Locke pode ter me escutado, mas ele não virou a cabeça em minha direção.

Se uma luz veio de dentro da escotilha, então alguém ou algo a ligou! Por que eles não vieram nos ajudar?! Estou começando a achar que fazemos parte de algum experimento terrível. As pessoas estão morrendo aqui! Só uma coisa eu tenho certeza:

"Não vou ser uma delas..."

29 Dia 42 - Alguém envenenou Michael, o que significa que alguém está desesperado pra impedir que a jangada parta – e eu acho que sei quem. Ele é louco? Essa é a maior chance de sermos resgatados daqui. Eu conversei como Sawyer, tentando de qualquer maneira barganhar um lugar na jangada, mas esse cara é duro de negociar. Eu ofereci tudo. TUDO. Ele falou que ia conversar com o Michael por mim, mas todo mundo sabe que Sawyer só se importa com ele mesmo, então minhas chances não parecem boas – não tem nem vaga pro cachorro do Walt.

Eu tenho que sair daqui...

Dia 43 - Aquela francesa maluca apareceu no acampamento esta noite. Ela realmente não bate bem! Ela diz que o navio dela naufragou na ilha há 16 anos. Ela estava grávida e todo mundo com ela adoeceu e morreu, então ela teve que parir o bebê sozinha! Uma noite ela avistou uma fumaça negra no horizonte – então umas pessoas vieram e levaram o bebê dela. E agora ela diz que estas pessoas estão vindo pra nos buscar.

30 Dia 43 (cont.) - Particularmente, eu não teria ouvido uma palavra dela se eu mesma não tivesse visto a fumaça (ou a escotilha). Agora todos estão entrando em pânico.

Se a história dela for verdade, então quem diabos são estas outras pessoas? Se eles são uma ameaça, então há pessoas aqui o suficiente para encará-los. Se não, talvez eles possam nos dizer alguma coisa sobre este lugar. Talvez até como sair daqui...

Jack, Kate, Locke e Hurley estão indo para a floresta. Eles disseram que têm uma espécie de plano – estão indo arrumar “armamentos”. Enquanto isso, nós teríamos que pôr a jangada para partir – isso fez que o lançamento se antecipasse e o mastro quebrou.

Charlie está colhendo mensagens para botar numa garrafa que o grupo da jangada vai levar com eles. Eu gostaria de mandar este diário inteiro, mas eu apenas rasguei uma página e coloquei o meu nome, cidade e estado. – só por precaução;

Janelle Granger

Hermosa Beach, CA

31 Dia 43 - A jangada finalmente partiu. Foi estranho – emocionante em vários níveis. Eu queria muito estar lá, mas ao mesmo tempo eu estava morrendo de medo disso. E agora eu temo por eles – temo por eles falharem...

Todo mundo está se mudando para as cavernas, se preparando para alguma espécie de ataque, mas eu vou esperar aqui mesmo por estas outras pessoas. Ou o barco de resgate – o que vier primeiro. Eu não vou correr.

Algumas poucas pessoas vão ficar aqui também. E, é claro, Larry – não consigo me livrar desse cara! Alguma coisa está errada, estou com minha bolsa de mergulho do meu lado, e estou pronta pra usar o que está dentro.

Todos os outros estão se mudando para as cavernas, em preparação para algum tipo de ataque, mas eu vou esperar bem aqui por esses 'outros'. Ou o barco do salvamento-- qualquer um que vier primeiro. Eu corro.

Noite 43 - Ok. Estou começando a me arrepender de não ter ido pras cavernas com todo mundo. Aparentemente Rousseau pegou o bebê da Claire. Eu sabia. Não há “outros” vindo pra nos pegar! Ela é que é uma desequilibrada. Charlie e Sayid foram atrás dela, mas o que diabos tem lá? A fumaça preta se transformou num brilho laranja. Deve ser um grande grupo de pessoas

32 Noite 43 (cont.) – talvez os mesmos que estão na escotilha? – ou talvez outro grupo de sobreviventes do nosso avião???

Há apenas alguns de nós aqui na praia, amontoados em volta da fogueira. Parece que Larry está dormindo, roncando – melhor do que me perturbando a noite toda. Estou me sentindo realmente só – um pouco assustada eu acho. As outras três pessoas conosco são amigáveis, mas eu nunca encontrei com elas antes. Dois caras e uma mulher – todos da Austrália.

O que foi isso! Um brilho intenso – e depois um estrondo. O chão está tremendo - como se fosse um terremoto. E o vento está soprando – o suficiente para o nosso fogo apagar. E agora eu não consigo enxergar. Por que ela está gritando? Alguém atrás de mim? Não consigo encontrar minha bolsa...

Chris Dobson

# Texto
1 Página 1 - Encontrei esse diário a baixo da praia. Ele estava metade queimado na areia e eu pensei que alguém provavelmente o queria de volta, mas eu não posso imaginar a quem isto pertencia. Depois de lê-lo, eu diria, estou intrigado - Quem seria esta pessoa? O que exatamente aconteceu com ela em Louisiana? Isso me deixa desconfortável sabendo que eu fui forçado dividir esta ilha com alguém tão... vacilante. Continuando, tem algo sobre ela que estranhamente mistura confidência e paranóia que eu achei muito interessante.

Lendo este diário - de novo, eu ainda não posso imaginar que tipo de pessoa fez esse grupo - fazendo um contra o outro, mantendo segredos, recorrendo à tortura, até assassinato. Eu sabia que isto estava acontecendo, mas quando você vê isto escrito, é quase inacreditável. Esse pequeno microcosmo da sociedade certamente trás as piores pessoas.

2 Página 2 - Fascinantemente há uma escotilha em algum lugar a poucas horas andando daqui do acampamento. Uma escotilha, enterrada ali no chão! A notícia de sua existência tem se espalhado como o fogo selvagem desde que Jack voltou e todos os tipos de histórias estão sendo faladas sobre o que tem lá dentro - comida, armas, músicas?! Até ouvi que alguém dizendo sobre máquina de lavar roupas - agora isso não pode ser verdade. Como eles encontraram isso? E a quanto tempo isto está lá? Minha pulsação acelera só de pensar nisso...

Que festa! Hurley trouxe um monte de comida da escotilha hoje a noite. Alguns itens estranhos, mas não menos saboroso. Eu nunca estive tão cheio. Algus itens eram tão infamiliares que meu estômago está revirando. Eu provavelmente vou me arrepender disto amanhã...

O que tem com a natureza humana que causa nas pessoas a por tanto valor em suas posses? Sun perdeu sua aliança de casamento hoje e ela está muito triste com isso. Isso é o valor do item ou tudo o que representa? Quando eles aprenderão a deixar de se apegar aos objetos? Nada disso importa aqui.

3 Página 3 - Não importa o que eu ouço ou vejo, eu sempre irei me surpreender a rapidez que as pessoas se revertem a um nível de conforto. Nós estamos em uma ilha no meio do nada ainda, e apesar de tudo que ocorreu, a vidas dos sobreviventes parece que está voltando ao... NORMAL. As pessoas estão lavando roupas -- LAVANDO! E por todos os lados o perigo ilusórios em um nível que a maioria deles estão completamente despreparado para tal. E quando isso acontecer por circunstância ou por causa do stress aquele perigo criado permanece para ser visto. Eu suponho que eu irei apenas ter que esperar e ver.

Mais pessoas chegaram. Eu estava na praia arrumando os abrigos com as outras pessoas (Hah!) quando nós escutamos uma comoção as uns metros de nós. Eu virei e vi muitas pessoas juntas e quando eu pergunto a uma mulher perto de mim o que está acontecendo, ela me diz que havia mais sobreviventes da queda do avião! Tinha alguns deles, não mais que quatro ou cinco e eles chegaram com um homem coreano, "Jin" aparentemente Michael e Sawyer retornaram também, o que é um enorme alívio. Com alguma sorte ninguém mais seria bobo o suficiente para tentar algo como um barco de novo.

4 Página 4 - Eu dei minha primeira olhada na escotilha esta tarde Locke criou uma lista de turnos para todos nós e para "Apertar o botão" embora eu não tenha certeza do que isto significa. Minhas emoções não são claras sobre isto. Eu devo admitir que estou fascinado para ver o que tem dentro, mas assustado ao mesmo tempo. Nós temos trabalhado tanto para fazer uma vida aqui, e agora eu temo que a reintrodução da civilização nos conduziu a somente abaixo desse mesmo trajeto escuro.

Eu notei que Claire tem uma estátua em sua posse e eu ainda não cheguei perto o suficiente para ver o que é, mas parece um ícone religioso de algum tipo. De novo, eu me encontro perguntado por que a natureza humana implíca em pôr importância em objetos? Especialmente em atribuir valor mistico ou espiritual para eles. Eu olho toda essa beleza em minha volta e isso não é o suficiente para mim...

Algo está acontecendo hoje. Não certeza do que é, mas parece que há uma grande tensão entre os jogadores maiorais. Eu não posso ter certeza mas eu tenho um presentimento de que há um tipo de plano a caminho. Eu meio que ouvi algumas conversas.

5 Página 5 - Sobre o Michael, possivelmente foi atrás de Walt -- eu espero que não seja verdade. Eu já vi muitas pessoas serem mortas. Ainda, que este plano seja necessário -- não pode ser bom para nenhum de nós.

Não importa qual espécie ou ambiente em que vivemos, eles parecem ter nenhum entendimento no qual cada um irá proteger uma criança. Nós certamente somos ensinadoas a entender a impotância vital de uma criança. Sem eles, nós como pessoas não poderiamos continuar. Mas depois de ver o que aconteceu entre Charlie e Claire -- tudo pelo "bem" da criança -- Estou começando a entender que esta conexão é algo que vai muito além do que eu sei. Eu me pergunto por que parece que essa conexão está enfraquecendo na mesma proporção em que a criança cresce?

Quantas lições as pessoas precisam para aprender? Quantas vidas precisam ser colocadas em risco? Está ficando claro que a guerra está se aproximando cada vez mais. Essas pessoas precisam

6 Página 6 - compreender que nós não estamos indo a qualquer lugar, embora pareçam uns povos primitivos, não será fácil. Mas se nós desejamos viver em paz nessa ilha de novo, nós só temos uma solução: eliminar aqueles que nos querem fazer mal, todos eles.

As coisas estão progredindo vagarosamente, ainda bem. Talvez haverá tempo suficiente para todos perceberem que não há nenhuma chance de vencer esse conflito. E que não vão conseguir nada além de suas próprias destruições. Eu me pergunto quantos deles entendem realmente o que é preciso para matar. Quantos estão realmente preparados para fazer o que for necessário para sobreviver. E para quê? Por que eles simplismente não podem aprender a viver em paz uns com os outros?

7 Página 7 - Algo deve ser feito. Acabei de saber que meu irmão está sendo mantido na escotilha como suspeito de ser um "Outro",

E pelo que eu escutei o tratamento dele está sendo menos que humano. Quem eles pensam que são? Juiz e juri? O que os dá o direito? Este não é o tribunal deles. Esta não é a Ilha deles. Algo deve ser feito...

Eu enfrentei Locke hoje e pedi pra entrar dentro do arsenal para ver meu irmão. Mas a única coisa que Locke continua a fazer é negar sua própria existência. Eu posso dizer, à propósito, que ele olha para mim e eu sei que ele está mentindo e eu vou descobrir a verdade.

Isso é algum tipo de conspiração! Agora Jack e Sayid estão mentindo para mim também. Eles continuam a negar que estão mantendo meu irmão na escotilha. E eu pude ver os machucados nos punhos de Sayid. Eu vou descer até lá. Quem vai me impedir?

8 Página 8 - Eu estava no meu caminho para a escotilha quando eu passei pela construção de Charlie e Eko. E agora eu estou mais confuso do que antes. Charlie insiste que meu irmão não está no arsenal... e Charlie é a única pessoa nessa ilha que eu pensava que podia confiar, especialmente depois da maneira que ele tentou proteger a Claire e o bebê.

Ele e Eko me convidaram a ficar a ajudá-los a trabalhar na igreja que estão construindo. Mas eu tenho que descobrir a verdade, eu sinto que aos poucos eu estou enlouquecendo...

Todo mundo está falando sobre mim -- eles não acham que posso ouvi-los, mas eu posso! Pessoas estão dizendo que eu sou louco! Eu sou louco? Eu? Hah! Tudo que sei é que não pretendo passar o resto da minha vida nessa pedra abandonada por Deus sem meu irmão. E se isso faz de mim "louco", que seja. Mas eu só não vou ficar nesse lugar sem alguém em quem eu possa confiar. Por quê ninguém iria me ajudar?

9 Página 9 - Eu não consegui dormir noite passada. Eu estava aborrecido com Steve e realmente não consigo entender por que ninguém me escuta. E alé do mais, é tão tremendamente quente aqui que eu não consigo entender como nós CONSEGUIMOS dormir! Eu decidi sair para dar um mergulho para me refrescar e fiquei na água para a melhor parte da hora. E quando eu voltei para o meu abrigo, foi então que eu vi! Sua camisa pendurada estava no varal em uma árvore perto do meu abrigo!! Se estou louco, então que diabos sua camisa estava fazendo alí? Eu acho que vou falar com Jack sobre isso mais tarde e quando ele tentar me persoadir com suas desculpas sem sentido eu vou mostar a camisa pra ele! Vamos ver o que ele terá a dizer sobre ISSO!

Ele é tão patronalizador -- Eu não aguento!

Quando eu fui falar com Jack sobre Steve, ele olhou para mim como se não tivesse tempo. Como ele se atreve -- será que ele pensa que só porque tem formação médica ou é um do maldito "Conselho de liderança" que não tem algo melhor pra discutir? mas eu disse a ele que eu

10 Página 10 - tinha a prova, prova que Steve esteve realmente aqui e isso não era loucura. Eu o fiz tocar a camisa -- ele a segurou em suas próprias mãos, então como eu podeira estar inventando aquilo? E você sabe o que ele fez? Ele olhou pra mim e ele sentia pena de mim! Então ele disse que tinha que voltar para a escotilha, mas que gostaria de me encontrar a noite -- ele tinha algo pra me mostrar. Isso tem que ser isto. Aguenta aí, Steve! Estou indo!

Steve está morto.

Jack me trouxe a um lugar ue chamamos de Colina Boone onde enterramos as pessoas que morrem aqui. Eles estão cavando mais outras duas covas alí para Ana Lucia e Libby. Jack me sentou e me disse para olhar para a cova e tentar me lembrar. Tentei e me lembrei da cova que cavamos para Steve poucos dias depois que caimos. E depois de encarar o buraco por alguns momentos, algo parece ter sido ligado em mim -- e eu começei a me lembrar.

11 Página 11 - Meu irmão morreu durante a queda -- no assento do meu lado. Tudo que sobrou dele é sua camisa. Jack me ajudou a cavar sua cova na praia. Eu nem sabia seu nome na época. Ele me ajudou. Eu sinto muito.

Oh, Deus -- Eu sinto, sinto muito.

Meu nome é Chris Dobson. E eu escrevo isto na esperança de alguém -- algum dia -- encontrar isto e entrengar isto para... eu não sei.

Eu era um passageiro do Vôo 815 da Oceanic que caiu nesta ilha no dia 22 de setembro de 2004. Eu estava sentado perto do meu irmão Steven, e eu quero que as pessoas saibam sobre ele. Para saber que tipo de homem ele foi.

Steven nasceu do dia 3 de dezembro de 1968. Ele era apenas dois anos mais velho que eu, mas para mim ele era um gigante. Quando eu estava na 4º série eu entrei em uma briga. Eu achei que seria divertido. Mas não era.

12

Página 12 - e depois de eu ter sido socado nas costas, tudo o que pude fazer era rolar por todo o chão e lamentar de dor. Eu estava com problema, e Steve sabia disso. Ele veio voando do circulo de garotos que olhava a briga e ele deu ao garoto o que o garoto tinha feito comigo (eu nem ao menos lembro do nome dele) uma verdadeira surra. Ele não poderia ter mais que oito ou nove anos, ele não sabia como brigar. Ele só usou seu próprio instinto. e me salvou.

Eu o trouxe para essa viajem à Australia para ajudar a nimá-lo depois que sua esposa morreu. Eles não tinham nenhum filho. Não tinham filhos, quero dizer, mas Steve tomou a morte de Elaine de um jeito realmente forte e nossos parente estavam preocupados com ele. Eu demorei muito para convence-lo, mas eu finalmente conseguir fazê-lo concordar em vir comigo e passar duas semana juntos em turismo pelo país. Foi o maior tempo que passei com ele em vinte anos. Nós não falamos sobre sua esposa. Nós só conversávamos. REALMENTE conversávamos pela primeira vez como não fazíamos em muito tempo. Talves como nunca fizemos antes.

13 Página 13 - Uma das nossas últimas noites, depois de um monte de cervejas, estavamos caminhando de volta para o hotel e meu irmão parou-me a direita lá na rua. Antes eu perguntei o que estava errado, ele apenas me abraçou. E eu o abracei de volta. E isso era bom. REALMENTE BOM.

Então nós pegamos um avião de volta pra casa. Eu me prendi com o assento do meio. Steve deve ter visto o olhar em minha cara porque se ofereceu para trocar de assentos comigo e para me dar o corredor. Normalmente ele me pediria por isso! Eu sei que ele não queria sentar no banco do meio -- quem gostaria? Mas ele fez isso por mim.

Olhando pra trás por toda a parte traseira por alguns segundos, mas é como se demorasse mais. Quando o avião se partiu uma parte do teto caiu e esmagou meu irmão. A direita em seu assento. Eu não ouvi mesmo ele gritar ou qualquer outra coisa.

Steven Michael Dobson está enterrado onde sopra o vento nesta ilha. Se alguém alguma vez encontrar essa...

14 Página 14 - Diário, por favor procure por ele lá. E se você acha-lo por favor traga-o de volta pra casa . Ele merece isso.

Esse deveria ser meu assento, você vê? Eu deveria ser o único a morrer. Mas Steve trocou de assento comigo. E salvando-me. De novo.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no Fandom

Wiki aleatória